"TODO MUNDO TÁ SEMPRE TOMANDO CONTA DA VIDA DOS OUTROS": vivências e trajetórias LGBTQIA+ em contextos interioranos

Neil Franco, Nayara Rios Cunha Salvador

Resumo


Com base em um referencial teórico híbrido entre teorias críticas e pós-criticas e uma metodologia de bricolagem, analisaram-se os relatos de quatro participantes LGBTQIA+ (um homem gay, uma mulher lésbica, um homem trans e uma mulher trans) no intuito de descrever e refletir sobre as vivências e trajetórias que divergem da norma socialmente imposta através da qual prevaleceria uma relação sexo-gênero-desejo, especificamente no contexto de duas cidades do interior do sul do Estado do rio de Janeiro: Rio das Flôres e Valença. Compreendemos que há processos de exclusão e violência simbólica mais proeminentes neste contexto, o que leva muitas pessoas LGBTQIA+ a procurarem os grandes centros em busca de emprego e liberdade de expressão identitária.

 


Palavras-chave


Cidades interioranas; Lésbicas; Gays; homens trans; mulheres trans.

Texto completo:

PDF

Referências


ABREU, Maira; CASTRO, Bárbara. Marxismos, feminismos, queer e sexualidades: Parte I. Crítica Marxista, n.48, p.89-107, 2019. Disponível em: https://www.ifch.unicamp.br/criticamarxista/arquivos_biblioteca/dossie2019_11_18_15_59_55.pdf Acesso em 22 jun 2020.

ANTRA. ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE TRAVESTIS E TRANSEXUAIS. História. 2020. Disponível em: https://antrabrasil.org/historia/ Acesso em 20 jun 2020.

BENEDETTI, Marcos. Toda Feita: o corpo e o gênero das travestis. Rio de Janeiro: Garamond, 2005. 144 p.

BORTOLETTO, Guilherme Engelman. LGBTQIA+: identidade e alteridade na comunidade. 2019. 32f. Trabalho de Conclusão de Curso. Pós-graduação em Gestão de Produção Cultural. Universidade de São Paulo, São Paulo, 2019.

BRASIL. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO.Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres (SPM/PR) Secretaria Especial de Políticas de Igualdade Racial (SEPPIR/PR). Gênero e diversidade na escola: formação de professoras/es em Gênero, Orientação Sexual e Relações Étnico-Raciais. Livro de conteúdo. Versão 2009. – Rio de Janeiro: CEPESC; Brasília: SPM, 2009.

BUTLER. Judith. Bodies that matter. On the Discursive Limits of "Sex". New York: Routledge, 1993.

BUTLER, Judith. Undoing Gender. New York: Routledge, 2004, 288 p.

CASTRO, Roney Polato de; FERRARI, Anderson. A "ideologia de gênero" e os processos educativos nos discursos religiosos: efeitos de saber-poder-verdade. In: FERRARI, Anderson; CASTRO, Roney Polato de (Orgs). Diversidades sexuais e de gêneros: desafios e potencialidades de um campo de pesquisa e conhecimento. Campinas, SP: Pontes Editores, 2017. p. 75-100

EAGLETON, Terry. Ideologia. São Paulo: Boitempo, 1997 1ª ed. 2002.

ENNES, Marcelo Alario; MARCON, Frank. Das identidades aos processos identitários: repensando conexões entre cultura e poder. Sociologias, Porto Alegre, ano 16, no 35, jan/abr 2014, p. 274-305. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/soc/v16n35/a10v16n35.pdf Acesso em 24 jun 2020.

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA; FÓRUM BRASILEIRO DE SEGURANÇA PÚBLICA. Atlas da violência 2019. 2019. Disponível em: https://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/relatorio_institucional/190605_atlas_da_violencia_2019.pdf Acesso em 26 jun 2019.

FALQUET, Jules. A combinatória straight. Raça, classe, sexo e economia política: análises materialistas e decoloniais. Crítica Marxista, n.48, p.127-145, 2019.Disponível em: https://www.ifch.unicamp.br/criticamarxista/arquivos_biblioteca/dossie2019_11_18_16_05_18.pdf Acesso em 22 jun 2020.

FERRARI, Anderson.; COUTO; José Gabriel de Viveiros Barbosa. Homossexualidades masculinas e cidade pequena. Bagoas - Estudos gays: gêneros e sexualidades, v. 8, n. 11, 11. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/bagoas/article/view/6550 Acesso em 23 jun 2020.

FOUCAULT, Michel. História da sexualidade I: A vontade de saber. Tradução de Maria Thereza da Costa Albuquerque e J. A. Guilhon Albuquerque. Rio de Janeiro, Edições Graal, 1988.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir. 20. ed. Petrópolis: Vozes, 1999.

FRANCO, Neil. Entre as fronteiras do gênero e das sexualidades: professoras travestis, transexuais e transgêneros brasileiras. Juiz de Fora : Editora UFJF, 2019.

HEILBORN, Maria Luiza (org). Família e sexualidade. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2004.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e estatísticas. Rio das Flôres. 2017. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/rj/rio-das-flores/panorama Acesso em 23 jun 2020.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e estatísticas. Valença. 2017. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/rj/valenca/panorama Acesso em 23 jun 2020.

KINCHELOE, Joe L. Redefinindo e Interpretando o Objeto de Estudo. In: KINCHELOE, Joe L.; BERRY, Kathlenn S. Pesquisa em Educação: conceituando a bricolagem. Tradução de Roberto Cataldo Costa. Porto Alegre: Artmed, 2007. P. 101-122.

LANZ, Letícia .O corpo da roupa: a pessoa transgênera entre a transgressão e a conformidade com as normas de gênero. Curitiba, 2014. 342 f. Dissertação (Mestrado em Sociologia). Setor de Ciências Humanas da Universidade Federal do Paraná: 2014.

LEITE JÚNIOR, Jorge. Nossos corpos também mudam: a invenção das categorias “travesti” e “transexual” no discurso científico. São Paulo, Annablume, FAPESP, 2011.

LOPES, João Teixeira. Em busca de um lugar no mapa: reflexões sobre políticas culturais em cidades de pequena dimensão. Sociologia, Problemas e Práticas, Oeiras , n. 34, p. 81-91, dez. 2000 . Disponível em . acesso em 24 jun. 2020.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero, sexualidade e educação: uma perspectiva pós-estruturalista. Rio de Janeiro: Vozes, 1997.

LOURO, Guacira Lopes. Um corpo estranho: ensaios sobre sexualidade e teoria Queer. Belo Horizonte: América, 2004.

MARTINELLI, Fernanda; CARNEIRO, Taya, ARARUNA, Maria Léo Araruna. “Agora eu sou passável”: discriminação e negociações para acesso ao mundo do trabalho por pessoas trans. 3º Seminário Internacional Desfazendo Gênero. Campina Grande, Paraíba, 2017. Disponível em: https://www.academia.edu/35161226/_AGORA_EU_SOU_PASS%C3%81VEL_DISCRIMINA%C3%87%C3%83O_E_NEGOCIA%C3%87%C3%95ES_PARA_ACESSO_AO_MUNDO_DO_TRABALHO_POR_PESSOAS_TRANS?auto=download Acesso em 25 jun 2020.

MISKOLCI, Richard. Teoria queer: um aprendizado pelas diferenças. 2. ed. rev. e aum. Belo Horizonte: UFOP (Universidade Federal de Ouro Preto), 2012. 82 p.

PIÑEROS, Théo Lobarinhas. Valença: dos caminhos de comércio à indústria. Cadernos do desenvolvimento Fluminense, n.6, 2015. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/cdf/article/view/17738 Acesso em 24 jun 2020.

RIO DE JANEIRO. TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO. SECRETARIA DE PLANEJAMENTO. Estudos Socioeconômicos dos municípios fluminenses: Rio das Flôres.2011. Disponível em: http://www.cedca.rj.gov.br/pdf/riodasflores.pdf Acesso em 23 jun 2020.

ROCON, P. C. et al. Dificuldades vividas por pessoas trans no acesso ao Sistema Único de Saúde. Ciência & Saúde Coletiva, v. 21, n. 8, p. 2517-2525, 2016.Disponível em https://www.scielo.br/pdf/csc/v21n8/1413-8123-csc-21-08-2517.pdf Acesso em 26 jun 2020.

SAFFIOTI, Heleieth. A mulher na sociedade de classes. 3. ed. São Paulo: Expressão Popular, 2013.

SANTOS, Dayana Brunetto Carlin dos. Docências trans*: entre a decência e a abjeção. 2018. 445f. Tese (Doutorado em Educação) Doutorado, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2017.

SEDGWICK, Eve Kosofsky. A epistemologia do armário. Cadernos Pagu n.28, janeiro-junho de 2007. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/3503/sedgwick-eve.pdf?sequence=1&isAllowed=y Acesso em 24 jun 2020.

SILVA, Annibal Affonso Magalhães da. Bens Culturais Imóveis: Logradouros Urbanos e Rurais do Município de Rio das Flores. Rio das Flores, edição do autor, 2013.

SILVA, Tomaz Tadeu da. Desconstruindo o construtivismo pedagógico. Educação e Realidade, Porto Alegre, v. 18, n.2, p.3-10, jul./dez. 1993.

SILVA, Tomaz Tadeu da. Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Tomaz Tadeu da Silva (org.), Stuart Hall, Kathryn Woodward. Petrópolis, RJ: Vozes, 2000.

SOF - SEMPREVIVA ORGANIZAÇÃO FEMINISTA. Reação patriarcal contra a vida das mulheres: debates feministas sobre conservadorismo, corpo e trabalho. 2016. Disponível em: https://www.ufsj.edu.br/portal2-repositorio/File/centrocultural/Cartilha-Sof(1).pdf Acesso em 25 jun 2020.

SPOSITO, Maria Encarnação Beltrão. A questão cidade-campo: perspectivas a partir da cidade. In: SPOSITO, M. E. B.; WHITACKER, A. M. (Org.). Cidade e campo: relações e contradições entre urbano e rural. 2. ed. São Paulo: Expressão Popular, 2010. p. 111-130.

TRE RJ. Tribunal Regional Eleitoral do Estado do rio de Janeiro. Resultado de votação: candidatos por município. Disponível em: https://www.tre-rj.jus.br/site/eleicoes/index.jsp?vmenu=2012/resultados/municipio/municipio.jsp&pag=1&vmenu_aux=2012# Acesso em 25 jun 2020.

VINUTO, Juliana. A amostragem em bola de neve na pesquisa qualitativa: um debate em aberto. Revista Temáticas, Campinas, v. 22, n.44, p. 203-220, ago/dez. 2014. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/tematicas/article/download/10977/6250 Acesso em 22 jun 2020.




DOI: https://doi.org/10.32359/debin2020.v3.n9.p253-282



Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.