Dinâmica Costeira e Formação de Spit na Praia do Porto, Município de Itarema, Estado do-Ceará.

Aderson Barbosa Costa, Antonio Flávio Costa Pinheiro, Otávio Augusto de Oliveira Lima Barra, Fábio Perdigão Vasconcelos

Resumo


A pesquisa analisou o processo de formação de um spit na Praia do Porto, ambiente estuarino do Município de Itarema, costa oeste do Ceará. Analisamos os processos erosivos e sedimentares para compreender a evolução morfodinâmica da linha de costa. A metodologia utilizada foi a coleta de dados em campo, entrevistas com moradores, obtenção de imagens por Drone, análise de documentação oficial e de imagens do Google Earth em série histórica de 2004 a 2018. O spit apresenta crescimento rápido de área, de 222m² em 2004 para 171.233m² em 2006. Entre 2006 e 2014 não ocorreram alterações significativa na área. De 2014 a 2018 o spit voltou a crescer em área atingindo 227.886m². Durante esse período ocorreu uma significativa alteração na morfologia, com progradação da praia na face exposta à ação das ondas e marés e processos erosivos na área de manguezal próximo ao spit. A elevação do nível do mar associada às alterações climáticas, modificações na descarga fluvial sólida e a ação antrópica com ocupação de dunas representam influência nos processos morfodinâmicos, causando alterações na linha de preamar. A área estuarina apresenta manchas de óleo provenientes de embarcações pesqueiras, colocado em risco flora e fauna estuarina e marinha. Ocorre também acúmulo de lixo e lançamentos de efluentes domésticos e industriais, poluindo as águas. Observou-se ainda que nessa região as políticas de gestão costeira não têm sido implementadas de forma constante, não conseguindo resultados consistentes na mitigação dos problemas do litoral, entre eles os de erosão costeira e de poluição ambiental.

 


Palavras-chave


Erosão Costeira; Spit; Gestão Integrada; Morfodinâmica.

Texto completo:

PDF

Referências


Anh, N. Q. D., Tanaka, H., Tinh, N. X., & Viet, N. T. (2019). Sand spit morphological change of An Hai and Le Thinh inlets, Phu Yen Province, Central Vietnam. 東北地域災害科学研究= Tohoku journal of natural disaster science, 55, 73-78.

Barros, E.L. 2018. Erosão Costeira no Município de Icapui-CE na última Década: Causas, Consequências e Perspectivas Futuras. 2018. 254. p. Tese (Doutorado em: Ciências Marinhas Tropicais do Instituto do Mar) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza.

Bezerra Filho, F. A. A. 2017. Sistemas estuarinos de torrões e porto dos barcos, Itarema (Ceará, Brasil): Um olhar a Partir Da Percepção Ambiental. 2017. 177 p. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Universidade Estadual do Ceara, Fortaleza.

Bertrand, G. (1968). Paisagem e geografia física global: esboço metodológico. Trad. Olga Cruz. Caderno de Ciências da Terra, (13).

Bird, E. C. (2011). Coastal geomorphology: an introduction. John Wiley & Sons.

Carvalho, G.S., 1963. Problemas de sedimentologia das praias do litoral de Angola: entre a foz do rio coporolo e o Lobito. Garcia Orta 11, 291e313.

Castro, J. W. A., Malta, J. V., Miguel, L. L. A. J., Cabral, C. L., & Passemilio, A. B. (2017). Chronological reconstruction of eolianites and transversal mobile dunes of northwest coast of Ceará State–Brazil, in the last 3000 cal yrs BP. Aeolian research, 28, 51-57. DOI: https://doi.org/10.1016/j.aeolia.2017.07.006

Claudino-Sales, V. C., & Peulvast, J. P. (2003). BARREIRAS E FLECHAS LITORÂNEAS NO ESTADO DO CEARÁ, NORDESTE DO BRASIL.

Dinis, P. A., Huvi, J., Cascalho, J., Garzanti, E., Vermeesch, P., & Callapez, P. (2016). Sand-spits systems from Benguela region (SW Angola). An analysis of sediment sources and dispersal from textural and compositional data. Journal of African Earth Sciences, 117, 171-182. DOI: https://doi.org/10.1016/j.jafrearsci.2016.01.020

INPH - Instituto de Pesquisas Hidroviárias. (1996). Relatório final dos estudos em modelo físico reduzido de agitação do Porto do Pecém-CE (Nº71/96). Rio de Janeiro, 1996. 38 p.

IPECE. (2017). Perfil municipal 2017, Itarema. Recuperado em 08 junho, 2019.Disponível em: .

John Benner, M. A. Earth Science for Middle School. 2012.

Machado, J. R. V. F. (2019). Contribuições da paisagem geográfica para a mudança de percepção de Charles Darwin sobre a natureza.

Maia, G. D. O., & Pinheiro, L. D. S. (2016). Eventos de alta energia e suas consequências na zona costeira do Município de Aquiraz, Estado do Ceará. DOI: http://tede.unioeste.br/handle/tede/4516

Malzac, M. E., & da Silva, T. C. (2019). Delimitações da zona costeira Sul do estado da Paraíba, Brazil. Journal of Integrated Coastal Zone Management/Revista de Gestão Costeira Integrada, 19(2), 123-141.

Melo, E., Alves, J. H. G. M., Jorden, V., Zago, F., & Dias, W. S. S. (1995). Instrumental confirmation of the arrival of North Atlantic swell to the Ceara coast. In INTERNATIONAL CONFERENCE COASTAL AND PORT ENGINEERING IN DEVELOPING COUNTRIES. COPEDEC (Vol. 4, pp. 1984-1996).

Meireles, A.J.A. (2014). Bases Metodológicas e Critérios para Licenciamento Ambiental na Unidade de Conservação Sabiaguaba, Fortaleza, Brasil. Mercator, Fortaleza, v.13, n. 3, p. 139-158, set./dez. 2014. DOI: 10.4215/RM2014.1303. 0010

Miguel, L. L. A. J., & Castro, J. W. A. (2019). Dinâmica Sedimentar das Dunas Transgressivas do Sistema Laguna-Barreira da Costa Sul de Moçambique, África. Anuário do Instituto de Geociências, 41(1), 222-231. DOI: http://dx.doi.org/10.11137/2018_1_222_231

MMA - Ministério do Meio Ambiente. A biodiversidade na Zona Costeira e Marinha do Brasil. (2010) Recuperado em 23 abr, 2020. Disponível em:

MMA - Ministério do Meio Ambiente. Consultas por UC's (2018). Recuperado em 20 abr, 2019.Disponível em:

.

Morais, J. O. D., Freire, G. S. S., Pinheiro, L. D. S., Souza, M. J., Carvalho, A. M. D., Pessoa, P. R. S., & Oliveira, S. H. M. (2006). Ceará. Erosão e progradação do litoral brasileiro. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, 132-154.

Moura, F. J. M. D. (2018). Dinâmica de barreiras costeiras na costa semiárida brasileira: o caso do litoral de Acaraú e Itarema-Ceará.

Muehe, D. (2013). Erosão costeira, mudança do clima e vulnerabilidade. GUERRA, Antonio José Teixeira. JORGE, Maria do Carmo Oliveira (Orgs.). Processos erosivos e recuperação de áreas degradadas. São Paulo: Oficina de Textos.

Park, Y. H., & Edge, B. L. (2010). An empirical model to estimate overwash. Journal of Coastal Research, 26(6), 1157-1167.

Paula, D. P., Morais, J. O., Ferreira, O., Dias, J. A. (2015). Análise histórica das ressacas do mar no litoral de Fortaleza (Ceará, Brasil): origem, características e impactos. Paula, D. P; DIAS, J.A. Ressacas do mar: temporais e gestão costeira. Fortaleza: Premius, 173-201. DOI: https://doi.org/10.2112/JCOASTRES-D-09-00017.1

Prefeitura Municipal Itarema. Plano Diretor Participativo do Município de Itarema – CE. “Versão Final Consolidada”, 2008.

Scherer, M. E. G., Asmus, M. L., & Gandra, T. B. R. (2018). Avaliação do Programa Nacional de Gerenciamento Costeiro no Brasil: União, Estados e Municípios. Desenvolvimento e Meio Ambiente, 44. DOI: http://dx.doi.org/10.5380/dma.v44i0.55006

Silva, N. S. da. (2014). Novos olhares para o litoral cearense: a produção de energia eólica e os impactos socioambientais decorrentes dos parques eólicos Volta do Rio (Acaraú) e Cajucoco (Itarema) - ce, Brasil. 2014. 144p. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Universidade Estadual do Ceara, Fortaleza.

Smith, M. J., & Cromley, R. G. (2012). Measuring historical coastal change using GIS and the change polygon approach. Transactions in GIS, 16(1), 3-15. DOI: https://doi.org/10.1111/j.1467-9671.2011.01292.x

Souza, C. R. G. (2009). A erosão costeira e os desafios da gestão costeira no Brasil. Revista de Gestão Costeira Integrada-Journal of Integrated Coastal Zone Management, 9(1), 17-37.

Souza, M. J. N (2000). Bases Naturais e esboço de zoneamento geoambiental do estado do Ceará. IN: LIMA, Luís C.(Org.). Compartimentação Territorial e Gestão Regional do Ceará. Fortaleza: Editora FUNECE.

Tomazelli, L. J., & Villwock, J. A. (2005). Mapeamento geológico de planícies costeiras: o exemplo da costa do Rio Grande do Sul. Gravel, 3(1)

Tricart, J. (1977). Ecodinâmica (No. 1). Superintendência de Recursos Naturais e Meio Ambiente, Secretaria de Planejamento da Presidência da República, Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, Diretoria Técnica.

Vasconcelos, F. P. (2005). Gestão Integrada da Zona Costeira: Ocupação antrópica desordenada, erosão, assoreamento e poluição ambiental do litoral. Premius Editora.

Vasconcelos, F. P. (2018). Dinâmica costeira do litoral de Fortaleza e os impactos da construção dos aterros das Praias de Meireles (Beira Mar) e Iracema sobre o litoral de Caucaia. Parecer Técnico Ambiental. IEPRO/LAGIZC/UECE, Outubro de 2018, 110p. Recuperado de: http://www.uece.br/wp-content/uploads/2019/04/Parecer-T%C3%A9cnico-Impacto-Aterro-Beira-Mar-outubro-2018.pdf




DOI: https://doi.org/10.26848/rbgf.v13.4.p1610-1628

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

      

Revista Brasileira de Geografia Física - ISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License