Vulnerabilidade socioambiental como base para a gestão costeira no município de Paracuru – Ceará

Cristiano da Silva Rocha, Fábio Perdigão Vasconcelos, Delano Nogueira Amaral, Maria Bonfim Casemiro, Otávio Augusto de Oliveira Lima Barra

Resumo


A geografia desempenha um papel importante quando existem trabalhos que tentam relacionar sociedade e natureza, estabelecendo formas (ou variáveis) para qualificar os elementos que compõem a paisagem. Neste trabalho, o objetivo foi aplicar a classificação da vulnerabilidade socioambiental adaptada de Medeiros e Souza (2016), com contribuições de Milanezi e Pereira (2016), como forma de contribuir com a gestão costeira de Paracuru- Ceará. Paracuru é um município costeiro, em que estão presentes diversos ambientes e três Unidades de Conservação Estaduais localizados no rio Curu e nas dunas de Paracuru. Para a análise, sobrepôs-se o mapa de vulnerabilidade ambiental (gerado a partir dos mapas de unidades geoambientais e de uso e ocupação) e de vulnerabilidade social, utilizando 17 variáveis incluídas no cálculo do índice organizados por setores censitários, menor unidade amostral. Foi observado trechos de vulnerabilidade socioambiental alta no setor próximo do rio Curu, na localidade de Santa Rita, com área de interseção de 2,3km² sede urbana localidade denominada de 2,3km² de interseção e setor 16, nas localidades de Muriti, Córrego do Curu e Pedrinhas, com interseção de aproximadamente 800 m². Nas dunas a sobreposição foi predominante de vulnerabilidade ambiental alta e vulnerabilidade social média – alta. Espera-se que as informações possam indicar os ambientes e seções da cidade que são mais suscetíveis e que essas áreas precisam de maior proteção.

 

Socio-environmental vulnerability as a basis for coastal management in the municipality of Paracuru - Ceará

A B S T R A C T

Geography makes an important role when there are works that try to relate society and nature, establishing forms (or variables) to qualify the elements that make up the landscape. In this work, the objective was to apply the classification of socio-environmental vulnerability adapted from Medeiros and Souza (2016), with contributions from Milanezi and Pereira (2016), as a way to contribute to the coastal management of Paracuru-Ceará. Paracuru is a coastal municipality, where there are several environments and three State Conservation Units located on the Curu River and on the Paracuru dunes. For the analysis, the map of environmental vulnerability (generated from the maps of geoenvironmental units and of use and occupation) and social vulnerability was superimposed, using 17 variables included in the calculation of the index organized by census sectors, the smallest sample unit. It was observed stretches of high socio-environmental vulnerability in the sector in the APA of the Curu River, in the locality of Santa Rita, with an intersection area of 2.3 km², in the urban headquarters, places called plateau da barra and secondary carnaubinha 3.1 km² intersection and sector 16, in the localities of Muriti, Córrego do Curu and Pedrinhas, with an intersection of approximately 800 m². In the dunes, the overlap was predominant of high environmental vulnerability and medium - high social vulnerability. It is hoped that the information can serve as a basis for indicating the paths that management should follow to achieve sustainability.

Keywords: Landscape, socio-environmental vulnerability, coastal planning.


Palavras-chave


Paisagem; vulnerabilidade socioambiental; planejamento costeiro.

Texto completo:

PDF

Referências


Almeida, L. Q. Vulnerabilidade social aos perigos ambientais. Revista da ANPEGE. v. 6, 2010 (jan./dez.) p. 151-176.

Almeida, N.M. 2018. Evolução tectono-sedimentar e sistema petrolífero de uma nova fronteira exploratória na Margem Equatorial Brasileira. Tese (doutorado) – Universidade Federal do Ceará, Centro de Ciências, Programa de Pós-Graduação em Geologia, Fortaleza.

Aquino, A.R.; Paletta, F.C.; Almeida, J.R. 2017. Vulnerabilidade ambiental. São Paulo: Blucher.

Bertrand, G., 2004. Paisagem e geografia física global. RA´E GA, v. 2, n. 8, p. 141-152.

Brasil. Ministério do Meio Ambiente. 2007. Vulnerabilidade Ambiental. Brasília, MMA, 2007.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. 2018. Programa Nacional para Conservação da Linha de Costa. Brasília, DF: MMA, Disponível em: . Acesso em: 16 out. 2020.

Brito, A.G.M.; Almeida, L.Q.; Medeiros, M.D.; Farias, J.F., 2019. Áreas de vulnerabilidade em Natal/RN, Brasil: análise da zona de proteção ambiental 9 (ZPA 9). Caminhos de Geografia, v. 20, n. 72, p. 433–453.

Cartier, R.; Barcellos, C.; Hübner, C.; Porto, M.F., 2009. Vulnerabilidade social e risco ambiental: uma abordagem metodológica para avaliação de injustiça ambiental. Cadernos de Saúde Pública, v. 25, n. 12, p. 2695-2704.

Carvalho, A.M.; Claudiano-Sales, V.; Maia, L.; Castro, J.W.A., 2009. Eolianitos de Flecheiras/Mundaú, Costa Noroeste do Estado do Ceará, Brasil: Registro ímpar de um paleo-sistema eólico costeiro. In: Winge, M.; Schobbenhaus, C.; Souza, C.R.G.; Fernandes, A.C.S.; Berbert-Born, M.; Queiroz, E.T. (Org.). Sítios Geológicos e Paleontológicos do Brasil. Brasília: CPRM.

Ceará. Superintendência Estadual do Meio Ambiente, 2016. Reestruturação e atualização do mapeamento do projeto Zoneamento Ecológico-Econômico do Ceará – zona costeira e unidades de conservação costeiras. Fortaleza: SEMACE.

Cutter, S.L., 2011. A ciência da vulnerabilidade: modelos, métodos e indicadores (Vulnerability Science: Models, Methods, and Indicators). Revista Crítica de Ciências Sociais, n. 93, p. 59-69.

Deschamps, M.V., 2004. Vulnerabilidade Socioambiental na região metropolitana de Curitiba. Tese (Doutorado Acadêmico em Meio Ambiente e Desenvolvimento) - Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente, Universidade Federal do Paraná, Paraná.

Freire, Zenyys. Desafios e possibilidades para pensar o planejamento e a gestão urbana em áreas de vulnerabilidade sociambiental: reflexões a partir do contexto da comunidade do mutirão, em campina grande, paraíba. Geosaberes, Fortaleza, v. 6, n. 3, p. 678 - 688, july 2015. ISSN 2178-0463. Available at: . Data de acesso: 16 out. 2020.

Gabor, T.; Griffith, T. K. 1980. The assessment of community vulnerability to acute hazardous materials incidents. Journal of Hazardous Materials, v. 3, p. 323-333.

Gorayeb, A.; Souza, M.J.N.; Figueirêdo, M.C.B.; Araújo, L.F.P.; Rosa, M.F.; Silva, E.V., 2006. Saneamento básico e impactos ambientais na bacia hidrográfica do rio Curu – Estado do Ceará – NE do Brasil. Scripta Nova Revista Electrónica De Geografía Y Ciencias Sociales, v. 10, n. 208. Disponível em: encurtador.com.br/qrALX. Acesso em: 15 de abr. 2019.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2010. Censo Demográfico de 2010. Rio de Janeiro.

IPECE. Instituto de Pesquisa e Estratégia econômica do Ceará. 2015. Índice de vulnerabilidade social dos municípios cearenses: Critérios para a distribuição de recursos do proares. Disponível em: . Acesso em: 28 de junho de 2019.

IPECE. Instituto de Pesquisa e Estratégia econômica do Ceará. 2017. Perfil Básico Municipal. Disponível em: https://www.ipece.ce.gov.br/wp-content/uploads/sites/45/2018/09/Paracuru_2017.pdf. Acesso em: out. 2018.

Kaztman, R. 2001. Seducidos y abandonados: el aislamiento social de los pobres urbanos. Revista de la CEPAL. Santiago do Chile, n. 75, p. 171-189.

Macedo, Yuri Marques et al. 2015. Vulnerabilidade socioambiental em escala de detalhe: o caso de mãe luiza, natal, rn, brasil. Geosaberes, Fortaleza, v. 6, n. 2, p. 145 - 157.

Mavromatidi, A.; Briche, E.; Claeys, C. 2018. Mapping and analyzing socio-environmental vulnerability to coastal hazards induced by climate change: An application to coastal Mediterranean cities in France. Cities, v. 72, n. 1, p. 189-200. Disponível em: . Acesso em: 19 de set. 2020.

Medeiros, C.N.; Souza, M.J.N., 2016. Metodologia para mapeamento da vulnerabilidade socioambiental: caso do município de Caucaia, estado do Ceará. Revista Eletrônica do Prodema Fortaleza, v. 10, n. 1, p. 54-73.

Medeiros, W. D. A.; Cunha, L. J. S.; Almeida, A. C. 2018. Riscos ambientais na orla costeira do município de Areia Branca (Nordeste do Brasil). GeoInterações, v. 2, n.1, p. 3-16.

Medeiros, C.N.; Souza, M.J.N. 2017. Panorama socioeconômico das regiões de planejamento do estado do Ceará. IPECE – Fortaleza-Ce, p. 342.

Milanezi, C.H.S. Pereira, J.G. 2016. Caracterização da Vulnerabilidade Ambiental na Microbacia Do Córrego Azul, Ivinhema – MS. Geografia, v. 25. n. 1. p. 43-63.

Nunes, H.K.B.; Aquino, C.M.S., 2018. Vulnerabilidade ambiental dos setores censitários às margens do rio Poti no município de Teresina (Piauí). Revista Brasileira de Geografia Física, v.11, n. 06.

Oliveira, L.N.; Cunha, L.J.S.; Cruz, M.L.B., 2020; Pereira, E.C. Índice de resiliência natural em bacias hidrográficas: o caso do baixo curso do Rio Poti. Caminhos de Geografia,v. 21, n. 75, p. 185–200.

Oliveira, E. L. A. 2018. Vulnerabilidade: a questão central da equação de risco. Geografia, Ensino e Pesquisa, v. 22, n. 19, p. 01-09.

Reis, G.A.; Ribeiro, A.J.A; Silva, C.A.U., 2020. Diagnóstico de Vulnerabilidade Socioambiental em Áreas Urbanas Utilizando Inteligência Geográfica. Revista Brasileira de Geografia Física, v. 13, n. 02, p. 767-781.

Rocha, M.N., 2017. Dinâmica dos Depósitos Eólicos de Bypass na Planície Costeira de Paracuru, Brasil: subsídio para Ações de Contenção e Manejo [recurso eletrônico].

Rocha, C.S., 2020. Análise socioambiental como subsídio à gestão integrada da zona costeira em Paracuru - CE. Dissertação (Mestrado Acadêmico em Geografia) – Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, 2020. Disponível em: Acesso em: 3 de julho de 2020.

Silva, J.F.A.; Nunes, H.K.B.; Aquino, C.M.S., 2019. Análise integrada do ambiente como subsídio para identificação de riscos e vulnerabilidades socioambientais em Picos/PI. Revista Brasileira de Geografia Física, v. 12, n. 07, p. 2522-2536.

Sousa, P.H.G.O., 2007. Dinâmica ambiental e transformações socioespaciais da orla marítima de Paracuru – Ceará. Fortaleza.

Tricart, J., 1977. Ecodinâmica. Rio de janeiro, IBGE, Diretoria técnica, SUPREN.

Williams, L.R.R.; Kaputska, L.A. 2009. Ecosystem vulnerability: a complex interface with technical components. Environmental Toxicology and Chemistry. v. 19, p. 1055-1058.




DOI: https://doi.org/10.26848/rbgf.v13.6.p2820-2839

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

      

Revista Brasileira de Geografia Física - ISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License