Avaliação da qualidade da água de poços domésticos em comunidades rurais no Arquipélago de Marajó- PA

marcelo coelho simões, Gundisalvo Piratoba Morales, Priscila Sanjuan de Medeiros Sarmento, Ilma Pastana Ferreira, Robson José Domingues, Cléa Nazaré Carneiro Bichara

Resumo


O estudo trata da avaliação da qualidade da água de poços domésticos utilizados pelas comunidades rurais no arquipélago de Marajó- PA, a partir da análise dos parâmetros físico-químicos e microbiológicos. As amostras de água foram coletadas obedecendo as normas técnicas em vigor, ocorrendo no período de maior índice pluviométrico da região, com temperatura entre 23°C e 32 °C. Para cada amostra físico-química analisou-se: Potencial de hidrogênio (pH), Temperatura (T), Oxigênio Dissolvido (OD), Sólido Totais Dissolvidos (STD) e Condutividade Elétrica (CE). Para as análises microbiológicas as amostras foram coletadas utilizando recipientes previamente esterilizados, e a sua quantificação foi realizada usando de análise de membrana e Placa de Alta Sensibilidade 3M™ Petrifilm™ para identificar a presença de coliformes totais e Escherichia coli. Os dados foram interpretados usandoanálise estatística, realizando o teste de variância (ANOVA) e equivalentes não paramétricos (Mann Whitney e Kruskal wallis). A partir de cada análise, os valores de CE e STD apresentaram-se relativamente baixos, não evidenciando níveis de contaminação nesses poços, embora tenha sido identificada a presença de c. totais e E. coli, fato que limitaria o uso deste recurso para consumo humano. Os parâmetros em desacordo com valores de potabilidade podem estar relacionados com hábitos e manuseio inadequado na captação de água, além da falta de proteção desses poços com profundidade rasa de aquífero livre, pois, estão susceptíveis à entrada de poluentes derivadas de atividades antrópicas potencialmente poluidoras.


Palavras-chave


População Rural; Recurso Hídrico; Vulnerabilidade.

Referências


ABNT, 2006. Construção de poço para captação de água subterrânea. NBR 12244, ed. 2.

Agência Nacional de Águas (Brasil), 2012. Conjuntura dos recursos hídricos no Brasil: informe especial 2012. Brasília- DF. Disponível em: . Acesso em: 10 fev. 2019.

American Public Health Association- APHA, 1995. Microbiological examination of water. In: Standard methods for the examination of water and wastewater. 19. ed. Washington, D.C.: APHA.

Arrimar, A. C. C. 2012. Prevalência de cárie dentária e fluorose dentária numa amostra de crianças e adolescentes de um meio com água fluoretada (Ponta Delgada) e de um meio sem água fluoret (Viseu): estudo piloto. 130f. Dissertação (Medicina dentária), Universidade Católica Portuguesa.

Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Ranking decrescente dos municípios brasileiros, 2010. Disponível em: . Acesso em: 30 out. 2018.

Bortoli, J. D. E.; Maciel, M. J.; Rempel, C.; Salvi, L. C. 2017. Qualidade físico-química da água em propriedades rurais com produção de leite no vale do Taquari-RS. Caderno Prudentino de Geografia, v. 1, n. 39, p. 81-102.

Bozzini, A. C.; Prado, F. C. O.; Pereira, J. P.; Borri, M.; Paschoalado, C. F. P. R. 2018. Análise da sustentabilidade hidroambiental dos municípios com sede totalmente contida na bacia hidrográfica do rio Mogi Guaçu, SP. Holos Environment, v. 18, n. 1, p. 110-125.

Brasil. Resolução Conama n° 396, de 03 de abril de 2008. Dispõe sobre a classificação e diretrizes ambientais para o enquadramento das águas subterrâneas e dá outras providências. Diário Oficial da União, p. 66-68, 2008.

Brasil. Ministério da saúde. Portaria de consolidação nº 5, de 28 de setembro de 2017. Dispõe sobre os procedimentos de controle e vigilância da qualidade da água para consumo humano e seu padrão de potabilidade. Diário Oficial da União, Poder Executivo, Brasília- DF, Seção 1, Capítulo V, 28 set. 2017, p. 37.

Brasil. Ministério da Saúde. Fundação Nacional de Saúde. Manual técnico de análise de água para consumo humano. Brasília- DF: Funasa, 2013.

Brito, S. L.; Maia-Barbosa, P. M.; Pinto-Coelho, R. M. 2011. Zooplankton as na indicator of trophic conditions in two large reservoirs in Brazil. Lake and Reservoir Management, v. 16, p. 253–264. Disponível em: . Acesso em: 15 jun. 2019.

Bucci, M. H. S.; Delgado, F. E. da F.; De Oliveira, L. F. C. de. 2015. Water quality and trophic state of a tropical urban reservoir for drinking water supply (Juiz de Fora, Brazil). Lake and Reservoir Management, v. 31, n. 2, p. 134-144. Disponível em: . Acesso em: 14 ago. 2019.

Cappi, N.; Ayach, L. R.; Santos, T. M. B.; Guimarães, S. T. L. 2012. Qualidade da água e fatores de contaminação de poços rasos na área urbana de Anastácio (MS). Geografia Ensino & Pesquisa, v. 16, n. 3, p. 77-92.

Casali, C. A. 2008. Qualidade da água para consumo humano ofertada em escolas e comunidades rurais da Região Central do Rio Grande do Sul. 173f. Dissertação (Mestrado em Ciência do Solo) - Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria- RS.

Cech, T. V. 2013. Recursos hídricos: história, desenvolvimento, política e gestão. Rio de Janeiro: LTC.

Companhia Ambiental do Estado de São Paulo. Qualidade das águas interiores no estado de São Paulo 2017 / CETESB; Coordenação geral Maria Helena R.B. Martins; Coordenação técnica Nelson Menegon Jr., Marta Condé Lamparelli, Fábio Netto Moreno; Coordenação cartográfica Carmen Lúcia V. Midaglia; Equipe técnica Cláudio Roberto Palombo [et al.]; Colaboradores Gisela de Assis Martini [et al.] − São Paulo: CETESB.

Cruz, J. N.; Clain, A. F. 2010. A Interferência do pH na análise de cloreto pelo método de Mohr. Revista eletrônica TECCEN, v. 3, n. 3, p. 29-44.

Danaluz, D.; Tessaro, D. 2015. Padrão físico-químico e microbiológico da água de nascentes e poços rasos de propriedades rurais da região sudoeste do Paraná. Arq. Inst. Biol., v. 82, n. 1, p. 1-5.

Franco, A. O.; Arcos, F. O.; Pereira, J. S. 2018. Uso do solo e a qualidade da água subterrânea: estudo de caso do aquífero Rio Branco, Acre, Brasil. Águas subterrâneas: seção estudos de caso e notas técnicas, v. 32, n. 3, 2018.

Fundação Nacional da Saúde (BRASIL). Saneamento rural, Brasília-DF, 2013. Disponível em: http: www.funasa.gov.br/site/engenharia-de-saude-publica/saneamento-rural>. Acesso em: 06 jul. 2019.

Fundação Nacional de Saúde – FUNASA (Brasil). Manual prático de análise de água. 2. ed., rev. Brasília- DF, 2006.

Geografos. Coordenadas Geográficas. Salvaterra, Para, 2012. Disponível em: . Acesso em: 30 out. 2018.

Grumicker, M. G.; Silva, V. F. B.; Baylli, D.; Silva, A. F.G.; Ruaro, R.; Moraes, A. R. 2018. Qualidade da água de poços artesianos em um assentamento do município de Mundo Novo, Mato Grosso do Sul. R. gest. sust. ambient., Florianópolis, v. 7, n. 1, p. 807-821.

Gunkel, G.; Lange, U.; Walde, D.; Rosa, J. W. C. 2000. Environmental Impact of an Amazon Reservoir, Curuá-Una /Pará: Limnological Aspects. German-Brazilian In: Workshop on neotropical ecosystems - achievements and prospects of cooperative research, Hamburg. Programa and abstracts. Hamburg: University, p. 511-516.

Hespanhol, I. 2006. Água e saneamento básico. Águas doces do Brasil: Capital ecológico, uso e conservação. Org. REBOUÇAS, Aldo da C. et al. 3° ed. Editora Escrituras, São Paulo.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2014. PIB municipal 2010- 2014. Disponível em: . Acesso em: 30 out. 2018.

Instituto Nacional de Meteorologia. Website. 2019. Disponível em:

Kravitz, J. D.; Nyaphisi, M.; Mandel, R.; Petersen, E. 19991 Quantitative bacterial

examination of domestic water supplies in the Lesotho Highlands: water quality, sanitation, and village health. Bull World Health Organ, v. 77, n. 10, p. 829-36.

Lima, K. 2002. Variação sazonal da precipitação pluviométrica, temperatura do ar e umidade relativa do ar em ecossistemas de manguezal, floresta e pasto no leste da Amazônia, no período de agosto/2000 a dezembro/2001. 43f. (Trabalho de Conclusão de Curso)- Centro de Geociências, Universidade Federal do Pará, Belém.

Mello, M. P. M. 2009. Qualidade da água subterrânea em poços do assentamento Nova Amazônia (RR): influência dos agentes impactantes. 65f. Trabalho de Conclusão de Curso - Universidade Federal de Roraima.

Nunes, A. P.; Lopes, L. G.; Pinto, F. de R.; Amaral, L. A. do. 2010. Qualidade da água subterrânea e percepção dos consumidores em propriedades rurais. Nucleus, v.7, n.2.

Oliveira, J. S. C.; Medeiros, A. M.; Castor, L. G.; Carmo, R. F.; Bevilacqua, P. D. 2017. Soluções individuais de abastecimento de água para consumo humano: questões para a vigilância em saúde ambiental. Cad. Saúde Colet. Rio de Janeiro, v. 25, n. 2, p. 217-224.

Pará. (Estado). 2012. Secretaria Municipal de Cultura, Esporte e Turismo. Inventário da oferta turística de Salvaterra. Salvaterra: Sectur.

Pereira, A. R.; Santos, A. A.; Silva, W. T. P.; Frozzi, J. C.; Peixoto, K. L. G. 2013. Avaliação da qualidade da água superficial na área de influência de um lixão. Revista Ambiente e Água, v.8, n. 3, p 239-246. Disponível em: . Acesso em: 25 set. 2019.

Piñeiro di Blasi, JI; Martínez Torres, J; García Nieto, PJ; Alonso Fernández, JR; Díaz Muñiz, C; Taboada, J. 2013. Analysis and detection of outliers in water quality parameters from ‘different automated monitoring stations in the Miño river basin (NW Spain). Ecological Engineering, v. 60, p. 60–66. Disponível em: . Acesso em: 13 ago. 2019.

Pinto, A. G. N.; Horbe, A. M. C.; Silva, M. S. R.; Miranda, S. A. F.; Pascoaloto, D.; Santos, H. M. C. 2009. Efeitos da ação antrópica sobre a hidrogeoquímica do rio Negro na orla de Manaus/AM. Acta Amazonica, v. 39, n. 5, p. 627-638.

Pontes, C. A. A.; Schramm, F. R. 2004. Bioética da proteção e papel do Estado: problemas morais no acesso desigual à água potável. Cad Saúde Pública, v. 20, n. 5, p.1319-27.

Rangel, L. M.; Silva, L. H. S.; Rosa, P.; Roland, F.; Huszcar, V. L. M. 2012. Phytoplankton biomass is mainly controlled by hydrology and phosphorus concentrations in tropical hydroelectric reservoirs. Hydrobiologia, v. 693, n. 1, p. 13-28. Disponível em: . Acesso em: 25 set. 2019.

Santana, A.T. 2014. Estudo da qualidade da água para consumo humano em assentamentos de Teodoro Sampaio-SP. 101f. Dissertação (Mestrado em Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional-Área de Concentração: Avaliação e Análise de Impacto Ambiental)- Universidade do Oeste Paulista-Unoeste, Presidente Prudente, SP.

Scuracchio, P. A. 2010. Qualidade da água utilizada para consumo em escolas no município de São Carlos – SP. 57f. (Dissertação de mestrado)- Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências

Farmacêutica. Disponível em: . Acesso em: 22 ago. 2019.

Silva, R. C. A.; Araújo, T. M. Consumo humano da água do manancial subterrâneo em duas áreas urbanas de Feira de Santana-BA/2000. Perfil dos consumidores. Rev Bras Epidemiol 2002; Suplemento Especial: 457.

Soares, Ana Carolina Cordeiro. 2010. 93f. Abastecimento de consumo de água por soluções individuais de abastecimento em Viçosa- MG: identificação de perigos e percepção da população consumidora. (Dissertação). Programa de pós-graduação em medicina veterinária. Universidade Federal de Viçosa, 2010.

Sousa, H. S.; Freitas, S. T. R.; Cardoso, J. C. S.; Santos, T. F.; Reis, J. D. E.; Muribeca, A. J. B.; Santiago, J. C. C.; Gomes, P. W. P.; Trindade, N. S. 2018. Análises físico-químicas da nascente e do poço de abastecimento da vila de Água Boa, Salvaterra- PA. Educação Ambiental em Ação, Novo Hamburgo, v. 2018, n. 65.

Vitó, C. V. G.; Silva, L. J. B. F.; Oliveira, K. M. L.; Gomes, A. T.; Nunes, C. R. O. 2016. Avaliação da qualidade da água: determinação dos possíveis contaminantes da água de poços artesianos na região noroeste fluminense. Acta biomédica brasiliensia, v.7, n. 2, p. 59-75.

Zar, H. J. 2009. Biostatistical analysis. 5.ed. Pearson: New Jersey, 960 p.

Zerwes, C. M. et al. 2015. Análise da qualidade da água de poços artesianos do município de Imigrante, Vale do Taquari/RS. Revista Ciência e Natura, Universidade Federal de Santa Maria, Vol. 37, n. 4, p. 651-663.




DOI: https://doi.org/10.26848/rbgf.v13.5.p%25p

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

      

Revista Brasileira de Geografia Física - ISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License