Caracterização Físico-Química, Química e Quimiométrica de Águas Subterrâneas dos Aquíferos Pirabas e Barreiras em Municípios do Estado do Pará (Physical-Chemical, Chemistry and Chemometric Characterization of Underground Waters from Pirabas and Barreiras Aquifers in Municipalities of the State of Pará)

Emerson Renato Maciel da Silva, Luiz Gonzaga Silva Costa, Antônio dos Santos Silva, Ewerton Carvalho de Souza, Ivan Carlos da Costa Barbosa

Resumo


A

extração de águas subterrâneas é vista como a principal fonte alternativa para suprir a escassez de água potável, levando a uma preocupação acentuada quanto a sua qualidade. Assim, o presente trabalho teve como objetivo caracterizar as águas subterrâneas dos aquíferos das formações Pirabas e Barreiras através de parâmetros físico-químicos e químicos de qualidade da água e aplicação de métodos estatísticos multivariados na avaliação dos resultados. A pesquisa foi desenvolvida nos municípios de Benevides, Barcarena, Abaetetuba e Capanema, no Estado do Pará. Foram determinados in situ o potencial hidrogeniônico (pH), turbidez (Turb), oxigênio dissolvido (OD), condutividade elétrica (CE), temperatura (Temp) e sólidos totais dissolvidos (STD). Em laboratório, foram determinadas as concentrações de acidez (ACD), alcalinidade (ALC), cloreto (Cl-), dureza total (DT) e os teores de cálcio (Ca2+) e magnésio (Mg2+). Através da análise de componentes principais observou-se nitidamente a formação de dois grupos distintos formados pelas amostras de água provenientes das formações Pirabas e Barreiras. De acordo com os resultados obtidos por meio das análises físico-químicas e químicas, assim como a aplicação da ANOVA, seguida do teste de Tukey, e da estatística multivariada, foi possível caracterizar as águas subterrâneas oriundas das formações Pirabas e Barreiras. A caracterização das águas subterrâneas pode ter sofrido influência das características geográficas de cada município e, as peculiaridades dos principais aquíferos. Quanto à qualidade das amostras de água subterrânea pode-se aferir que as águas consumidas pelos moradores necessitam de um tratamento prévio, quanto aos padrões de potabilidade recomendados pelas legislações vigentes.

 

 

 

A B S T R A C T

Groundwater extraction is seen as the main alternative source to supply the drinking water shortages, leading to a haigh concern about its quality. Thus, the present work aimed to characterize the groundwater of Pirabas and Barreira aquifers through physicochemical and chemical parameters of water quality and the application of multivariate statistical methods in the evaluation of the results. The research was developed in the municipalities of Benevides, Barcarena, Abaetetuba and Capanema in the State of Pará. In situ, the potential of hydrogen (pH), turbidity (Turb), dissolved oxygen (OD), electrical conductivity (EC), temperature (Temp) and total dissolved solids (STD) were determined. In the laboratory, the concentrations of acidity (ACD), alkalinity (ALC), chloride (Cl-), total hardness (DT) and calcium (Ca2 +) and magnesium (Mg2 +) concentrations were determined. Through the principal componentes analysis, the formation of two distinct groups by the water samples from the Pirabas and Barreiras aquifers was clearly observed. According to the results obtained through the physicochemical and chemical reviews, as well as the ANOVA application, followed by the Tukey test and the multivariate statistics, it was possible to characterize the groundwater from the Pirabas and Barreiras formations. The characterization of groundwater may have been influenced by the geographical characteristics of each municipality and the peculiarities of the main aquifers. Regarding the groundwater samples quality, the water consumed by the residents requires a prior treatment, in terms of the standards of drinking water recommended by the current legislations.

Keywords: aquifer; water resource; groundwater.

 


Palavras-chave


Aquíferos; Recursos hídricos; Águas subterrâneas.

Texto completo:

PDF

Referências


Abdalla, K.V.P., Cavalcante, P.R.S., Neto, J.P.C., Barbieri, R., Neto, M.C.M., 2010. Avaliação da Dureza e das Concentrações de Cálcio e Magnésio em Águas Subterrâneas da Zona Urbana e Rural do Município de Rosário-MA. Disponível: https://aguassubterraneas.abas.org/asubterraneas/article/view/22915/15056. Acesso: 05 jan. 2017.

Alencar, A. A., 2007. Monitoramento da Qualidade da Água de Poços no Calcário Jandaíra e Restrições na Agricultura Irrigada. Dissertação (Mestrado). Mossoró, Universidade Federal Rural do Semi-Árido.

Almeida, F. M., 2007. Estudo da Contaminação por Hidrocarbonetos em Postos de Serviços do Município de Abaetetuba – PA Utilizando Georadar. Dissertação (Mestrado). Belém, Universidade Federal do Pará.

Alvarenga, G., 2001. Nutrição: A importância dos nutrientes para uma vida saldável. Disponível: http://www.foreverliving.com.br/arqs/downloads/detalhe_1224594990_flp_cartilha_nutricao_22007121_web.pdf. Acesso: 18 dez. 2016.

ANA. Agência Nacional de Águas, 2010. Atlas Brasil. Abastecimento urbano de água: panorama nacional. Brasília.

ANA. Agência Nacional das Águas, 2011. Guia nacional de coleta e preservação de amostras: água, sedimento, comunidades aquáticas e efluentes líquidas. Brasília.

ANZECC. AUSTRALIAN AND NEW ZEALAND ENVIRONMENT AND CONSERVATION COUNCIL, 2000. Australian Water Quality Guidelines for Fresh and Marine Waters, National Water Quality Management Strategy. Canberra.

APHA. Standart Methods for the Examination of Water and Wastewater, 2005.APHA, AWWA, and WEF, 21ª. Edition.

Bastos, M. L., 2013. Caracterização da qualidade da água subterrânea: estudo de caso no município de cruz das almas – Bahia. Monografia (TCC). Bahia, Universidade Federal do Recôncavo da Bahia.

BRASIL, 2005. Resolução n° 357, de 17 de março de 2005. Brasília, DF.

BRASIL, 2006. Boas práticas no abastecimento de água: procedimentos para a minimização de riscos à saúde. Brasília: Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde.

BRASIL, 2011. Portaria nº 2.914, de 12 de dezembro de 2011. Brasília, DF.

BRASIL, 2014. Manual de controle da qualidade da água para técnicos que trabalham em ETAS. Brasília: Ministério da Saúde, Fundação Nacional de Saúde.

Carvalho, F. I. M., Lemos, V. P., Dantas filho, H. A., Dantas, K. G. F., 2015. Avaliação da qualidade das águas subterrâneas de Belém a partir de parâmetros físico-químicos e níveis de elementos traço usando análise multivariada. Revista Virtual de Química 7, 2221-2241.

CDP. Companhia Docas do Pará, 2016. Diagnóstico ambiental do porto de vila do conde. Autoridade Portuária. Disponível: https://www.cdp.com.br/documents/10180/26801/Diagn%C3%B3stico+ambiental_Porto+Organizado+de+PVC.pdf/e2f88016-bdc5-4a38-9429-db142fd305c9. Acesso: 27 jan. 2017.

CETESB. Companhia Ambiental do Estado de São Paulo, 2009. Qualidade das águas interiores no estado de São Paulo: Significado ambiental e sanitário das variáveis de qualidade das águas e dos sedimentos e metodologias analíticas e de amostragem. São Paulo (Série Relatórios).

Condurú, M. T., 2012. Análise da qualidade da informação no setor de saneamento básico: em busca da inteligência estratégica. Tese (Doutorado). Belém, Universidade Federal do Pará.

CPRM. Serviço Geológico do Brasil. Geodiversidade do Estado do Pará, 2013. Disponível: http://www.cprm.gov.br/publique/media/Geodiversidade_PA.pdf. Acesso: 04 dez. 2016.

Custódio, R., Llamas, M. R., 1983. Hidrologia Subterrânea, 28 ed. Ediciones Omega, Barcelona.

Dias, J.S., Neves, I., Silveira, V.H, 2012. Nutrientes: do que as plantas precisam?. Unifertil. Disponível: http://www.unifertil.com.br/admin/files/rc20121011151121.pdf. Acesso: 19 dez. 2016.

Feitosa, F.A.C., Filho, J. M., 2000. Hidrogeologia: Conceitos e Aplicações, 2 ed. LABHID - UFPE, Fortaleza.

Fernandes, A. M. F., 2011. Diagnóstico da qualidade da água subterrânea em propriedade rural no município de planalto, RS. Monografia (TCC). Ijuí, Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2010. Disponível: http://www.ibge.gov.br/estadosat/perfil.php?sigla=pa. Acesso: 16 out. 2016.

Janzen, J. G., Schultz, H. E., Lamon, A. W., 2008. Medidas da concentração de oxigênio dissolvido na superfície da água. Revista Engenharia Sanitária e Ambiental [online] 3. Disponível: http://www.scielo.br/pdf/esa/v13n3/a06v13n3.pdf. Acesso: 02 dez. 2016.

Kemerich, P. D. C., 2008. Água Subterrânea e a Saúde da Comunidade em bairro de Santa Maria-RS. Dissertação (Mestrado). Santa Maria, Universidade Federal de Santa Maria.

KPDES. KENTUCKY POLLUTANT DISCHARGE ELIMINATION SYSTEM, 2010. Conductivity and Water Quality. Disponível: http://kywater.org/ww/ramp/rmcond.htm. Acesso: 08 dez. 2016.

Matta, M. A. S., Costa, F. R., Moraes, M. C. S., 2000. Águas superficiais e subterrâneas da região oeste da cidade de Belém/PA. Disponível: https://aguassubterraneas.abas.org/asubterraneas/article/viewFile/23911/15975. Acesso: 05 dez. 2016.

Matta, M. A. S., Almeida, F. M., Dias, E. R. F., Bandeira, I. C. N., Figueiredo, A. B., 2004. Geometria dos sistemas aquíferos da bacia hidrográfica do Paracuri - Belém/PA, como base para uma proposta de abastecimento de água subterrânea. Disponível: https://aguassubterraneas.abas.org/asubterraneas/article/view/23486/15573. Acesso: 05 dez. 2016.

Menezes, J. P. C., 2012. Influência do uso e ocupação da terra na qualidade da água subterrânea e sua adequação para consumo humano e uso na agricultura. Dissertação (Mestrado). Alegre, Universidade Federal do Espirito Santo.

Reis, E., 1997. Estatística multivariada aplicada, 1 ed. Edições Sílabo, Lisboa.

Santos, A. A., 2008. Qualidade das Águas Superficiais e Subterrâneas na Área de Influência do Aterro Sanitário de Cuiabá – MT. Dissertação (Mestrado). Cuiabá, Universidade Federal de Mato Grosso.

Scuracchio, P. A., 2010. Qualidade da água utilizada para consumo em escolas no município de São Carlos - SP. Dissertação (Mestrado). Araraquara, Universidade Estadual Paulista.

Silva, R. C. A., Araújo, T. M., 2003. Qualidade da água do manancial subterrâneo em áreas urbanas de Feira de Santana (BA). Revista Ciência & Saúde Coletiva [online] 8. Disponível: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232003000400023. Acesso: 03 dez. 2016.

Zoby, J.L.G., Matos, B., 2002. Águas subterrâneas no Brasil e sua inserção na Política Nacional de Recursos Hídricos. Disponível: https://aguassubterraneas.abas.org/asubterraneas/article/viewFile/22634/14858. Acesso: 10 dez. 2016.




DOI: https://doi.org/10.26848/rbgf.v11.3.p1026-1041

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

      

Revista Brasileira de Geografia Física - ISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License