ENSAIOS DA ESCOLA DO TRABALHO NAS ESCOLAS ITINERANTES DOS ACAMPAMENTOS DO MST NO ESTADO DO PARANÁ

Alessandro Santos Mariano, José Claudinei Lombardi

Resumo


O objetivo deste artigo é apresentar elementos da Proposta Curricular das Escolas Itinerantes do Paraná, escolas públicas de educação básica, gestadas e orientadas pelo projeto educativo do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), que tem o trabalho como Matriz formativa, se fundamentando em Marx (1987), na pedagogia socialista e na pedagogia do oprimido (FREIRE, 1982). Essa proposta resgata práticas de educação e de escola, desenvolvida pela classe trabalhadora, desde a Revolução Russa, com a experiência da Escola do Trabalho, sistematizada pelos autores Pistrak (2000& 2009) e Shulgin (2013). A teoria produzida no processo de luta da classe trabalhadora foi incorporada de maneira crítica nas Escolas Itinerantes do Paraná, avançando em proposições e, principalmente, apontando caminhos para uma nova forma escolar desde as práticas de auto-organização e trabalho socialmente necessário. Representam um processo contra-hegemônico uma vez que busca, num contexto de luta pela Reforma Agrária, exercitar uma proposta de currículo, que tem por perspectiva contribuir para um processo de formação humana em todas as dimensões e representa um processo de auto-gestão da classe trabalhadora.

 


Palavras-chave


Trabalho; Complexos de Estudo; Escola Itinerante; MST

Texto completo:

PDF

Referências


CALDART, Roseli Salete. Pedagogia do Movimento Sem Terra. São Paulo: Expressão Popular, 2004.

CAMINI, Isabela. Escola Itinerante: na fronteira de uma nova Escola. São Paulo: Expressão Popular 2009.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. 49. Reimp. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2005.

FREITAS, Luiz Carlos. Introdução. In: PISTRAK, M. M. A Escola-Comuna. São Paulo: Expressão. Popular, 2009

___________; CALDART, Roseli Salete; SAPELLI, Marlene Lucia Siebert.(Orgs). Plano de Estudos da Escola Itinerante, 1º Ed., Edunioste, Cascavel, 2013.

MANACORDA, Mario Alighiero. Marx e a Pedagogia Moderna. São Paulo, Cortez, 2007.

MARIANO, Alessandro Santos. Escola Itinerante dos Acampamentos do MST no Paraná: limites e possibilidades. UFSC, Florianópolis, 2011. Trabalho de Conclusão de Especialização.

___________. O experimento curricular dos Complexos de Estudo: práticas de auto-organização dos estudantes e o trabalho socialmente necessário nas Escolas Itinerantes do Paraná. UNIOESTE, Foz do Iguaçu, 2015. Trabalho de Conclusão de Especialização.

___________. Ensaios da Escola do Trabalho no contexto das lutas do MST: a proposta curricular dos ciclos de formação humana com complexos de estudo, nas Escolas Itinerantes no Paraná. Dissertação de mestrado apresentada ao Programa de Pós-Graduação da Universidade Estadual do Centro-Oeste do Paraná - UNICENTRO, 2016.

MARX, Karl. O capital: Crítica da economia política. 11 .ed. São Paulo. DEFEL, 1987. Livro Primeiro volume I.

MARX, Karl; ENGELS, Frederich. O manifesto do partido comunista. Porto Alegre: L&PM, 2001.

PISTRAK, Mosey Mikhaylovich. Fundamentos da escola do trabalho. São Paulo: Expressão Popular, 2000.

PISTRAK, Mosey Mikhaylovich. A Escola-Comuna. São Paulo: Expressão Popular, 2009.

SAPELLI, Marlene Lucia Siebert. Escola do Campo – Espaço de disputa e de contradição: análise da Proposta Pedagógica das Escolas Itinerantes do Paraná e do Colégio Imperatriz Dona Leopoldina. Doutorado. Tese apresentada ao Programa de Pós-Graduação da Universidade Federal de Santa Catarina. 2013.

SHULGIN, Victor. Rumo ao politecnismo. São Paulo: Expressão Popular, 2013.




DOI: https://doi.org/10.32359/debin2019.v2.n6.p9-37



Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.