O DESEJO DE (DES)HABITAR O OUTRO: O CORPO QUARE NA (PO)ÉTICA DE WALDO MOTTA

Fernando Luis de Morais, Claudia Maria Ceneviva Nigro

Resumo


Esquadrinhar a maneira como a linguagem (po)ética de Waldo Motta realiza experiências dinâmicas a fim de alçar corpos negros, gays e pobres – portanto, quare – à plena condição de sujeito em uma sociedade pautada pelos ditames da brancura, da heterossexualidade e do classismo – eis o objetivo deste artigo. Os poemas “Preceituário para racistas com receita de rebuçado e contra-receita de angu”, “Deus furioso” e “No cu” tecem pontos de aproximação quanto à forma de representar esses corpos relegados ao limbo, operando uma transformação, uma ruptura de padrões arbitrariamente consolidados. A perspectiva da qual lançamos mão nesta análise busca focalizar esse exercício (est)eticamente poderoso, forçando um olhar renovado da materialidade corporal quare.


Palavras-chave


po(ética); quare; Waldo Motta

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.32359/debin2019.v2.n8.p179-201



Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.