Transformações Multi-Temporais do Uso e Coberturas das Terras no Bairro de Cruz das Almas, Litoral Norte de Maceió, Alagoas, Nordeste do Brasil (Multi-temporal transformations of land use and coverage in the Cruz das Almas neighborhood, Maceió north coast, Alagoas, Northeast Brazil)

Thiago Cavalcante Lins Silva, Bruno Ferreira

Resumo


O presente estudo se dedicou a discutir o avanço da mancha urbano no Bairro de Cruz das Almas em Maceió em um período de 32 anos, seus efeitos e consequências ambientais. Como metodologia foi utilizada uma análise quantitativa dos percentuais de coberturas das terras utilizando fotografias aéreas e imagens orbitais através do software Qgis 2.18, o que possibilitou o cálculo dos percentuais de coberturas existentes no bairro ao longo do tempo. Os anos de referência foram 1986, 2002, 2005, 2009, 2013, 2016 e 2018, possibilitando a confecção de mapas temáticos representativos dos parâmetros utilizados para a elaboração dos resultados. Observou-se que a área de estudo sofreu acentuadas modificações urbanas, com significativo adensamento na sua ocupação. Este fato pode ser comprovado ao se analisar os percentuais de área edificada entre os anos de 1986 e 2018, constatando-se um aumento de 38,54% na área edificada, ocasionado tanto por incentivos privados como públicos, resultando assim na metamorfose atual do bairro. Os efeitos deste crescimento vieram acompanhados por uma série de problemas socioambientais, decorrentes principalmente de planejamento territorial pouco efetivo no que concerne ao desenvolvimento humano e ambiental, a exemplo da ocupação de áreas de riscos geomorfológicos, poluição dos corpos hídricos e necessidade de ampliação do sistema de circulação local. As análises quantitativas e qualitativas realizadas se mostraram promissoras, possibilitando alcançar o objetivo proposto, bem como, ampliar as discussões sobre o Bairro. Viabilizando a representação detalhada das transformações no bairro de Cruz das Almas e seus efeitos paisagísticos em modelos cartográficos e apresentando informações que poderão ser utilizados como subsídio ao planejamento territorial, gestão e tomada de decisões pelos diversos setores que compõem a sociedade.




A B S T R A C T

The present study was dedicated to discuss the advance of the urban stain in the neighborhood of Cruz das Almas in Maceió in a period of  32 years, its effects and environmental consequences. As a methodology, a quantitative analysis of the percentages of land cover using aerial photographs and orbital images through the software Qgis 2.18 was used, which made it possible to calculate the percentages of coverage existing in the neighborhood over time. The reference years were 1986, 2002, 2005, 2009, 2013, 2016 and 2018, making it possible to prepare representative thematic maps of the parameters used for the elaboration of results. It was observed that the study area underwent accentuated urban modifications, with a significant increase in its occupation. This fact can be proved by analyzing the percentages of area built between 1986 and 2018; a 38.54% increase in the built area was verified, caused by both private and public incentives, resulting in the current metamorphosis of the neighborhood. The effects of this growth were accompanied by a series of socio-environmental problems, mainly due to the lack of effective territorial planning for human and environmental development, such as the occupation of areas of geomorphological risks, pollution of water bodies and the need to expand the local system circulation. The quantitative and qualitative analysis performed were promising, making it possible to reach the proposed objective, as well as to broaden the discussions about the Neighborhood. Enabling the detailed representation of the transformations in the neighborhood of Cruz das Almas and its landscape effects in cartographic models and presenting information that can be used as a subsidy to territorial planning, to management and decision-making by the various sectors that compose society.

Keywords: Multi-temporal transformations; Ground coverings; Urban stain.



Palavras-chave


Transformações Multi-Temporais; Coberturas das Terras; Mancha Urbana.

Texto completo:

PDF

Referências


Abreu, M. B., 2010. Análise Espaço temporal da Cobertura e Uso da Terra no Estado do Rio de Janeiro de 1994 até 2007. Dissertação (Mestrado), Rio de Janeiro. Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ.

Albuquerque Júnior, D. M., 1999. A invenção do Nordeste e outras artes. Recife: Fundação Joaquim Nabuco,

Ayach, L. R.; Cunha, E. R.; Silva, L. F.; Bacani, V. M. Utilização de imagens Google Earth para mapeamento do uso e cobertura da terra da bacia hidrográfica do córrego Indaiá, MS. Revista GeoNordeste, Edição Especial, n°4, vol. 2, 2012.

Bulgarelli, C. História da hotelaria em Maceió. Maceió: Ideias e Comunicação, 2011.

Costa, J. A. & Ramos, V. A. O espaço urbano de Maceió-ambiente físico e organização socioeconômica. In: ARAÚJO, L. M. Geografia: espaço, tempo e planejamento. Maceió: EDUFAL, 2004.

Diniz, T. M.; Vasconcelos, F. P.; Oliveira, G. P.; Medeiros, D. B. S. Geografia costeira do nordeste: bases naturais e tipos de uso. Curitiba: EDITORA CRV, 2016.

Fernández-Gimeno, L. & López-García, M. J., 2015. Expansión urbana del Área Metropolitana de Valencia en el periodo 1984-2011 a partir de imágenes Landsat TM y ETM+. Revista Española de Teledetección, Valencia, v. 44, p. 1-14,

Freyre, G., 2004. Nordeste: aspectos da influência da cana sobre a vide e a paisagem do nordeste do Brasil. Recife: Global Editora e Distribuidora Ltda,

Históriadealagoas, 2017. Cruz das Almas dos coqueiros cruzados, Disponível em: . Acesso em: 29/06/2018.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Estimativa Populacional, 2016.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. População Rural e Urbana, 2015.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Malha municipal digital, 2015.

Lima, I. F., 1990. Maceió, a cidade restinga: contribuição ao estudo geomorfológico do litoral alagoano. Maceió: EDUFAL.

Lima, R. C. A., 2004. .Evolução da Linha de Costa a Médio e Curto Prazo Associada ao Grau de Desenvolvimento Urbano e aos Aspectos Geoambientais na Planície Costeira de Maceió-Alagoas. Tese (doutorado), Universidade Federal de Pernambuco – UFPE.

Maceió. Lei municipal n° 5.486 de 30 de Dezembro de 2005.

Maceió. Parcerias da prefeitura com governo federal trazem benefícios a Maceió, 2014. Disponível em: http://www.maceio.al.gov.br/2014/12/parcerias-da-prefeitura-com-governo-federal-trazem-beneficios-a-maceio/. Acesso em: 29/06/2018.

Melo, J. C., 2017. A emergência da urbanização turística com base na rede de hotelaria na Cidade de Maceió-Alagoas. Dissertação (Mestrado), Universidade Federal de Alagoas,

Merlotto, A.; Piccolo, M. C.; Bertola, G. R., 2012. Crecimiento urbano y cambios del uso/ cobertura del suelo en las ciudades de Necochea y Quequén, Buenos Aires, Argentina. Revista de geografia do Norte Grande, Santiago , n. 53, p. 159-176.

Moraes, A. C. R., 2007. Contribuições para a gestão da zona costeira do Brasil. São Paulo: Hucitec.

Multiplan. Alagoas – Parque Shopping Maceió, 2013. Disponível em: . Acesso em: 29/06/2018.

Nascimento, F. A., 2007. Estudo da capacidade de adensamento urbano do litoral norte de Maceió, nos bairros de Jacarecica e Guaxuma. Dissertação (Mestrado), Universidade Federal de Alagoas.

Oliveira, A. T. R.; Ervatti, L. R.; O’neill, M. M. V. C. Migrações Internas: O Panorama dos deslocamentos populacionais no Brasil: PNADs e Censos Demográficos, in: OLIVEIRA, L. A. P. & OLIVEIRA, A. T. R., 2011. Reflexos sobre o deslocamento populacional no Brasil. Rio de Janeiro: IBGE.

Poluicaourbanaemmaceio. Praia de Cruz das Almas, 2013. Disponível em:< http://poluicaourbanaemmaceio.blogspot.com/2013/03/praia-de-cruz-das-almas-marco-de-2013.html>. Acesso em: 29/06/2018.

Prado Júnior, C., 1994. Formação do Brasil Contemporâneo. São Paulo: Editora Brasiliense, 23ª edição.

Ruiz, V.; Savé, R.; Herrera, A., 2013. Análisis multitemporal del cambio de uso del suelo, en el Paisaje Terrestre Protegido Miraflor Moropotente Nicaragua, 1993–2011. Ecosistemas: Revista Científica de Ecología y Medio Ambiente, v. 22.

Torlay, R. & Oshiro, O. T., 2010. Obtenção de imagem do Google Earth para classificação de uso e ocupação do solo. Embrapa Monitoramento por Satélite, Campinas.

Sant’ana, M. M., 2011. Contribuição à história do açúcar em Alagoas. Maceió: Editora Graciliano Ramos.

SEPLAG - AL - Secretaria de Planejamento, Gestão e Patrimônio do Estado de Alagoas. Bairros dos Municípios do Estado Alagoas, 2015. Disponível em:. Acesso em: 20/07/2018.

Silva, C. F. A.; SHULLER, C. A. B.; LIMA, F. V. M. S.; MORAES, J. K. & BARRETO, E. P., 2017. Análise multi-temporal dos processos de expansão urbana em áreas de risco utilizando técnicas fotogramétricas na cidade do Recife, Nordeste do Brasil. Anais do XXVII Congresso Brasileiro de Cartografia e XXVI Exposicarta.

Silva, C. F. A.; Barreto, E. P.; Schuller, C. A. B.; Ferreira, B. & Melo, W. D. A, 2016. Evolução Multi-temporal do Uso e Ocupação do Solo no Entorno do Campus da Universidade Federal Rural de Pernambuco Zona Oeste da Cidade do Recife. Revista Brasileira de Geografia Física, v. 9, n. 2, p. 319-333.

Souza, I., 1980. Migrações internas no Brasil. Petrópolis: Editora Vozes.

Urriza, G. & Garriz, E., 2014. ¿Expansión urbana o desarrollo compacto? Estado de situación en una ciudad intermedia: Bahía Blanca, Argentina. Revista Universitaria de Geografía. Bahia Blanca , v. 23, n. 2, p. 97-12.

VasconceloS, D. A. L.; Araújo, L. M.; Ramos, S. P., 2016. Evolução histórica do destino turístico Maceió-Alagoas-Brasil: de antecedentes à atual situação. RITUR-Revista Iberoamericana de Turismo, v. 6, n. 1, p. 139-164.

Weber, C. & Puissant, A., 2003. Urbanization pressure and modeling of urban growth: example of the Tunis Metropolitan Area. Remote Sensing of Environment, n.86, p. 341-352.

Weckmüller, R.; Slovincski, N. C.; Vincens, R. S. , 2013. Análise multitemporal como subsídio à identificação da trajetória evolutiva do uso e cobertura da terra no Corredor Ecológico do Muriqui/RJ. Revista Brasileira de Cartografia, n. 65 v. 3.




DOI: https://doi.org/10.26848/rbgf.v12.1.p310-325

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

      

Revista Brasileira de Geografia Física - ISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License