O SETOR DA SAÚDE: UM COLETIVO MOBILIZADO EM DEFESA DA VIDA DAS FAMÍLIAS NO ACAMPAMENTO SEM TERRA DA ANNONI

Alessandra Regina Müller Germani, Jacir João Chies, Clayton Hillig

Resumo


Este artigo tem como objetivo relatar e analisar a experiência de luta pela saúde desenvolvida no assentamento da antiga Fazenda Annoni, localizado no município de Pontão/RS, no período de outubro de 1985 a outubro de 1986, visando identificar como foram sendo construídas as relações entre os saberes e práticas, científicos e populares, na produção das ações em saúde no período do acampamento. Trata-se de uma pesquisa do tipo estudo de caso, com abordagem qualitativa, resultante de uma tese de doutorado. Os procedimentos metodológicos compreenderam a realização de uma pesquisa exploratória, bibliográfica, documental e de campo, no período de março de 2017 a junho de 2018. Ao final, compreende-se que os esforços e os caminhos percorridos pelos sujeitos, na busca pela articulação entre os saberes e práticas para a resolução dos problemas de saúde que vinham sendo enfrentados pelas famílias, encontra-se alinhado com os pressupostos contra hegemônico, de promoção de uma Ecologia de saberes.


Palavras-chave


luta pela terra; luta pela saúde; ecologia de saberes

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, João Tadeu de, MELLO, Márcio Luiz, HOLANDA, Violeta Maria de Siqueira. Saúde e cultura: diversidades terapêuticas e religiosas. Fortaleza: EdUECE, 2015.

AROUCA, Antonio Sérgio da Silva. O dilema preventivista. São Paulo: UNESP. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2003.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70; 2004.

BATISTA, Marina Fenicio Soares; ALBUQUERQUE, Paulette Cavalcanti. A produção da saúde e a população do campo: uma experiência no assentamento de reforma agrária em Pernambuco–Brasil. Tempus Actas de Saúde Coletiva, Brasília, DF, v. 8, n. 2, p. 173-194, 2014.

BONAVIGO, Elizabete Ana, BAVARESCO, Pedro Antônio. Fazenda Annoni: da ocupação ao assentamento definitivo. In: TEDESCO, João Carlos; CARINI, Joel João. Conflitos agrários no norte gaúcho 1980-2008. Porto Alegre: EST edições, 2008.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. A comunidade tradicional. In:UDRY, Consolación, EIDT, Jane Simoni. Conhecimento tradicional: conceitos e marco legal. Brasília/DF: Embrapa, 2015.

BRASIL 8ª Conferência Nacional de Saúde – Relatório final. Brasília: Ministério da Saúde, 1986.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares no SUS - PNPIC-SUS. Brasília: Ministério da Saúde, 2006.

CALDART, Roseli Salete. O MST e a formação dos sem terra: o movimento social como princípio educativo. Estudos Avançados, São Paulo, SP, v. 15, n. 43, p. 207-224, 2001.

CAMPOS, Gastão Wagner de Sousa. Estratégias para consolidação do SUS e do direito à saúde. Ensaios & Diálogos em Saúde Coletiva. n.3. Novembro 2016.

______. Gastão Wagner de Sousa. Reforma Política e sanitária: a sustentabilidade do SUS em questão? Ciências e Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, RJ, v.12, n.2, mar. /abr. 2007.

CARNEIRO, Fernando Ferreira et al. Teias de um Observatório para a saúde das populações do campo, da floresta e das águas no Brasil. Tempus - Actas de Saúde Coletiva, Brasília, DF, v. 8, n. 2, p. 275-293, 2014.

CARNEIRO, Fernando Ferreira (Org.). Dossiê ABRASCO: um alerta sobre os impactos dos agrotóxicos na saúde / Organização de Fernando Ferreira Carneiro, Lia Giraldo da Silva Augusto, Raquel Maria Rigotto, Karen Friedrich e André Campos Búrigo. - Rio de Janeiro: EPSJV; São Paulo: Expressão Popular, 2015.

CARNEIRO, Fernando Ferreira; KREFTA, Noemi Margarida; FOLGADO, Cleber Adriano Rodrigues. A práxis da ecologia de saberes: entrevista de Boaventura de Sousa Santos. Tempus Actas de Saúde Coletiva, Brasília, DF, v. 8, n. 2, p.331-338, 2014.

CARVALHO, Gilson. A saúde pública no Brasil. Estudos avançados, São Paulo, SP, v. 27, n.78, p.07-26, 2013.

CARVALHO, Sérgio Resende. Saúde coletiva e promoção da saúde: sujeito e mudanças. 3 ed. São Paulo: Hucitec, 2013.

CRUZ, José Francisco das Graças. Assistência à saúde no Brasil – evolução e o Sistema Único de Saúde. Pelotas: Educat, 1998.

ESCOREL, Sarah; NASCIMENTO, Dilene Raimundo do; EDLER, Flávio Coelho. As Origens da Reforma Sanitária e do SUS. In: LIMA, Nísia Trindade et al (org.). Saúde e democracia: história e perspectiva do SUS. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2005. p.59-81.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 17ª ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

FERNANDES, Bernardo Mançano. Brasil: 500 anos de luta pela terra. Revista de Cultura Vozes, v.2, 1999.

FIGUEIREDO, Gislayne Cristina; PINTO, José Marcelino de Rezende. Acampamento e assentamento: participação, experiência e vivência em dois momentos da luta pela terra. Revista Psicologia & Sociedade, v. 26, n. 3, 2014.

FILIPPI, Eduardo Ernesto. Reforma agrária: experiências internacionais em reordenamento agrário e a evolução da questão da terra no Brasil. 1 ed. Porto Alegre: Editora da Universidade/UFRGS, 2005.

GOMES, Luciano Bezerra; MERHY, Emerson Elias. Compreendendo a Educação Popular em Saúde: um estudo na literatura brasileira. Cad. Saúde Pública, v. 27, n. 1, p. 7-18, 2011.

LAGE, Allene Carvalho. A pedagogia que emerge da luta política do MST. Revista de Educação Pública, v.17, n.35, p.487-508, 2012.

MARCON, Telmo. Experiência do Acampamento Natalino: uma releitura política e educativa. ANPED SUL 2016. Reunião Científica Regional da ANPED – De 24 a 27 de julho – UFPR / Curitiba / PR.

MARCON, Telmo. Os movimentos sociais como educadores: contribuições políticas e pedagógicas do Acampamento Natalino. Passo Fundo: Editora UPF, 2016.

MARTINS, José de Souza. O sujeito oculto: ordem e transgressão na reforma agrária. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2003.

______. José de Souza. Travessias: a vivência da reforma agrária nos assentamentos. 2 ed. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2009.

MEDEIROS, Leonilde Servolo de. As novas faces do rural e a luta por Terra no Brasil Contemporâneo. Nómadas, n. 20, p. 210-219, 2004.

MELO, Enirtes Caetano Prates; CUNHA, Fatima Teresinha Scarparo. Fundamentos da Saúde. 2 ed. Rio de Janeiro: Senac Nacional, 1999.

MERHY, Emerson Elias et al. Redes Vivas: multiplicidades girando as existências, sinais da rua. Implicações para a produção do cuidado e a produção do conhecimento em saúde. Revista Divulgação em Saúde para Debate. Rio de janeiro, n.52, p.153-164, 2014.

PAIM, Jairnilson Silva. Reforma sanitária brasileira: contribuição para a compreensão e crítica. Salvador: EDUFBA/Rio de Janeiro: Editora Fiocruz; 2008.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Fórum Social Mundial: Manual de Uso. São Paulo: Cortez Editora, 2005.

______. Boaventura de Sousa. Para além do pensamento abissal: das linhas globais a uma ecologia de saberes. Novos estudos-CEBRAP, n.79, p.71-94, 2007.

______. Boaventura de Sousa. A gramática do tempo: para uma nova cultura política. São Paulo: Cortez, 2010.

______. Boaventura de Sousa. Um discurso sobre as ciências. 7ed. São Paulo: Cortez, 2010.

______. Boaventura de Sousa. Más allá del pensamiento abismal: de las líneas globales a una ecología de saberes. In: Santos, Boaventura de Sousa; Meneses, Maria Paula (org.). Epistemologías del Sur (Perspectivas). Madrid: AKAL, 2014. p.21-66.

______. Boaventura de Souza Santos. As bifurcações da ordem: revolução, cidade, campo e indignação. São Paulo: Cortez, 2016.

SAUER, Sérgio. O significado dos assentamentos de reforma agrária no Brasil. In: Caio FRANÇA, Galvão de; SPAVOREK, Gerd. Assentamentos em debate. Brasília: NEAD, 2005.

SOUTO, Lúcia Regina Florentino; OLIVEIRA, Maria Helena Barros de. Movimento da Reforma Sanitária Brasileira: um projeto civilizatório de globalização alternativa e construção de um pensamento pós-abissal. Saúde em Debate, v. 40, n. 108, p. 204-218, 2016.

SOUZA, Maria do Socorro. Questão agrária e direito à saúde: o lugar da saúde no projeto político do Movimento Sindical de Trabalhadores(as) Rurais. 2013. 225 f. Dissertação (Mestrado em Política Social) - Universidade de Brasília, Brasília, 2013.

TEDESCO, João Carlos; CARINI, Joel João. Conflitos agrários no norte gaúcho 1980-2008. Porto Alegre: EST edições, 2008.

VASCONCELOS, Eymard Mourão. Educação popular nos serviços de Saúde.3ed. são Paulo: Hucitec, 1997.

SANTOS, Boaventura de Sousa. A gramática do tempo: para uma nova cultura política. Porto: Edições Afrontamento, 2006.




DOI: https://doi.org/10.32359/debin2019.v2.n8.p144-178



Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.