O DIÁLOGO INTERCULTURAL E A EDUCAÇÃO DAS RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES: UM ESPAÇO DEMOCRÁTICO NA EDUCAÇÃO

SAWANA ARAÚJO LOPES DE SOUZA, Angélica de Cássia Gomes Marcelino, Angela Ninfa Mendes Cabral

Resumo


O diálogo intercultural e a educação das relações étnico-raciais na formação de professores é uma temática que vem sendo dialogada democraticamente nas políticas educacionais. O objetivo geral consiste em analisar o diálogo intercultural e a educação das relações étnico-raciais na formação de professores sob a perspectiva de um espaço democrático na educação. A problemática o diálogo intercultural e as relações étnico-raciais na formação de professores baseiam-se na perspectiva de uma luta democrática? Metodologicamente é uma investigação com caráter qualitativa e do tipo documental. Apontamos como resultados que existem na legislação brasileira um espaço democrático acerca da implementação do diálogo intercultural e da educação das relações étnico-raciais na formação de professores. Além disso, salientamos que precisamos intensificar esse debate na formação docente a fim de que a teoria e a prática estejam alinhadas no cotidiano escolar. Portanto, acreditamos que, devemos com base no corpus documental, apontamos os caminhos de inserção do nosso objeto de investigação na formação de professores a fim de que possamos ter essa temática no cotidiano da formação de professores

Palavras-chave


Diálogo Intercultural. Relações étnico-raciais. Formação de Professores. Democracia

Texto completo:

PDF

Referências


APPLE, Michael W. A política do conhecimento oficial: Faz sentido a ideia de um currículo oficial. In: MOREIRA, Antônio Flávio B.; SILVA, Tomaz Tadeu da (Org.) In.Currículo, Cultura e Sociedade. São Paulo: Cortez, 2006. p. 59-92.

BRASIL. Constituição do Brasil de 1988. Disponível em:<http://portal.mec.gov.br>.Acesso em: 13 jan. 2018.

______. Lei Federal nº 10.639/2003. Altera a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da Rede de Ensino a obrigatoriedade da temática “História e cultura Afro-brasileira” e dá outras providências. Brasília – DF, 2003. Disponível em:<http://www.planalto.gov.br/ccivil/leis/2003/l10.639.htm>. Acesso em: 26 de setembro de 2015.

_______. Lei Federal nº 11.645/2008. Altera a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de1996, modificada pela Lei nº 10.639, de 9 de janeiro de 2003, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da Rede de Ensino a obrigatoriedade de temática “História e Cultura Afro-brasileira e Indígena”.Brasília – DF, 2008. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato20072010/2008/Lei/11645.htm>. Acesso em: 13 de Fevereiro de 2020.

_______. Resolução CNE/CP Nº 2 de 1º de julho de 2015. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda licenciatura) e para a formação continuada. Disponível em: http://portal.mec.gov.br. Acesso em 13 de agosto de 2020.

CANDAU, Vera Maria. Direitos humanos, educação e interculturalidade: as tensões entre igualdade e diferença. Revista Brasileira de Educação.v. 13 n. 37 jan./abr. 2008. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_issuetoc&pid=1413-247820080001&lng=en&nrm=iso/. Acesso em 17 nov.2019

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. 17. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

_______. Pedagogia da Esperança: um reencontro com a pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992.

_______. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1998.

_______. Conscientização: teoria e prática da libertação. São Paulo: Moraes, 1980.

FLEURI, Reinaldo Matias. Interculturalidade, identidade e decolonialidade: desafios políticos e educacionais. Série-Estudos. Campo Grande, MS, n. 37, p. 89-106. 2014

LUDKE, Menga; MARLI, E. D. A. André. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. 2ª Ed. Rio de Janeiro: E.P.U.2013.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 13. ed. São Paulo: Hucitec, 2013.

WALSH,CATHERINE. Interculturalidad, plurinacionalidad y decolonialidad: las insurgencias político epistémicas de refundar el Estado. Tabula Rasa. Bogotá - Colombia, No.9: 131-152, julio-diciembre 2008

REGIS, Kátia Evangelista; SENGULANE, Hipólito F. M. S. A Lei nº 10.639/2003 no Brasil e o Plano Curricular do Ensino Básico (2003) em Moçambique: políticas públicas com intencionalidades de inserção da diversidade nos currículos escolares. Revista da ABPN. v. 9, n. 23.2017, p.171-193. Disponível em: http://www.periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/kwanissa/article/view/8627.Acesso em 21 dez. 2018

ROCHA, Solange; SILVA, José Antônio Novaes da. À Luz da Lei 10.639/03, avanços e desafios: movimentos sociais negros, legislação educacional e experiências pedagógicas. Revista da ABPN. v. 5, n. 11. 2013 • p. 55-82. Disponível em: http://abpnrevista.org.br/revista/index.php/revistaabpn1/article/view/189. Acesso em 26 dez.2018

SILVA, Janssen Felipe da; FERREIRA, Michele Guerreiro; SILVA, Delma Josefa da. Educação das relações étnico-raciais: um caminho aberto para a construção da educação intercultural crítica. Revista Eletrônica de Educação. São Carlos, SP: UFSCar, v. 7, no. 1, p. 248-272, mai. 2013. Disponível em http://www.reveduc.ufscar.br.. Acesso em 13 dez. 2018.




DOI: https://doi.org/10.32359/debin2020.v3.n10.p77-92



Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.