O elemento gramatical “lo” em publicações didáticas brasileiras da década de 1940: Historiografia da Linguística e ensino de espanhol

Diego José Alves Alexandre, Francisco Eduardo Vieira

Resumo


Tomando por objeto da Historiografia da Linguística as formas de conhecimento construídas sobre a língua ao longo da história (ALTMAN, 2009), este artigo objetiva analisar a metalinguagem empregada em torno do elemento gramatical lo em materiais didáticos de espanhol publicados na década de 1940 no Brasil. Assim, selecionamos cinco fontes representativas desse período, sobretudo a partir da publicação de uma lei que fixava conteúdos de espanhol no sistema educativo brasileiro. Nos resultados, verificou-se nas obras uma difusa variedade taxonômica e de possibilidades de uso do lo, que são refletidas nos livros didáticos e nas práticas docentes até os dias atuais


Texto completo:

PDF

Referências


ALONSO, M. C. Multidimensionalidade, complexidade e dinamismo em historiografia linguística e em sua definição do conceito tradição. Todas as Letras, São Paulo, v. 14, n. 1, 2012, p. 71‐86.

ALTMAN, Cristina. Retrospectivas e perspectivas da historiografia da linguística no Brasil. Revista argentina de Historiografía Lingüística. v.1, n. 2, 2009.

AUROUX, Sylvain. A revolução tecnológica da gramatização. Campinas: Editora da Unicamp, 1992.

BARROS, Aristóteles de Paula. Español: gramática y antologia. São Paulo: Edições Melhoramentos, 1948.

BECKER, Idel. Manual de Español: gramática, história literária, antologia – curso completo para exames de licença. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1945.

BRASIL. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA. Nomenclatura Gramatical Brasileira. Diário Oficial de 11/05/1959.

CELADA, María Teresa. O espanhol para o brasileiro: uma língua singularmente estrangeira. Tese (doutorado em Linguística). Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Estudos da Linguagem, Campinas, São Paulo, 2002.

DANNA, Stela Maris Detregiacchi Gabriel. Metalinguagem e escolha de retórica em Bello (1853[1847]) e Said Ali (1919[1908]): faces dos estudos gramaticais na América do Sul. Dissertação (mestrado em Linguística). Universidade de São Paulo, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, São Paulo, 2014.

ECKERT, Kleber. O artigo neutro da língua espanhola nos livros didáticos de Ensino Médio/Técnico. Língua Tec, Bento Gonçalves, v. 1, n. 1, p. 45-67, jun. 2016.

GUIMARÃES, Anselmo. Panaméricas Utópicas: a institucionalização do ensino de espanhol no Brasil (1870-1961). São Cristóvão: Editora UFS, 2016.

______. História dos livros didáticos de espanhol publicados no Brasil (1919-1961). Tese (doutorado em Educação). Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, 2018.

GUIMARÃES, Anselmo; FREITAS, Luciana Maria Almeida de. Memória do livro didático de espanhol no Brasil: um panorama. In: BARROS, Cristiano Silva de; MARINS-COSTA, Elzimar Goettenauer de; FREITAS, Luciana Maria Almeida de (Orgs.). O livro didático de espanhol na escola brasileira. Campinas: Pontes Editores, 2018.

JUCÁ FILHO, Cândico. El castellano Contemporáneo: gramática e textos. Rio de Janeiro: Editora Panamericana S/A, 1944.

KOERNER, Konrad. Questões que persistem em historiografia linguística. Revista da Anpoll, n. 2, p. 45-70, 1996.

______. O problema da metalinguagem em historiografia da linguística. In: KOERNER, E. F. K. Quatro décadas de historiografia linguística: estudos selecionados. Trás-os-Montes e Alto Douro: Centro de Estudos em Letras, Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, 2014. p. 75-90.

LAGOMARSINO, Raul Gil. Gramática Castellana: para uso nos cursos dos colégios brasileiros. Porto Alegre: A Nação, 1949 [1944]. 2a ed.

MASIP, Vicente. Origen del artículo portugués y español: aplicaciones didácticas. In: SEDYCIAS, João. O ensino de espanhol no Brasil: passado, presente, futuro. São Paulo: Parábola Editorial, 2005.

______. Gramática española para brasileños: fonología, ortografía y morfosintaxis. São Paulo: Parábola editorial, 2010.

ORLANDI, Eni. História das Ideias Linguísticas: construção do saber metalinguístico e construção da língua nacional. Mato Grosso: UNEMAT Editora, 2001.

POZO Y POZO, Adolfo. Gramática Española: para os alunos do ciclo colegial, admissão nas faculdades de Filosofia e demais escolas superiores. São Paulo: Livraria Francisco Alves, 1943.

REAL ACADEMIA ESPAÑOLA. Nueva gramática básica de la lengua española. Asociación de academias de lengua española. Barcelona: Espasa libros S.L.U, 2018.

SWIGGERS, Pierre. La historiografía de la linguística: apuntes y relfexiones. Revista argentina de historiografía linguística, I, 1, 67-76, 2009.

______. Le métalangage de la linguistique: réflexions à propos de la terminologie et de la terminographie linguistiques. Revista do GEL, São Paulo, v. 7, n. 2, p. 2-29, 2010.

VIEIRA, Francisco Eduardo. A gramática tradicional: história crítica. São Paulo: Parábola Editorial, 2018.






Revista Investigações - Linguística e Teoria Literária. Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Federal de Pernambuco.

ISSN Edição Digital 2175-294X - ISSN Edições Impressas 0104-1320

www.ufpe.br/pgletras - www.pgletras.com.br 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.