A INTERGERAÇÃO NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS – EJA COMO POSSIBILIDADES DE PREVENÇÃO AOS MAUS TRATOS INTRAFAMILIAR CONTRA PESSOA IDOSA

Patrícia Carla da Hora, Deysiene Cruz

Resumo


RESUMO

O presente trabalho objetiva conhecer como a intergeração se articula nos espaços de formação da Educação de Jovens e Adultos – EJA e como esta intergeração pode contribuir para prevenção dos maus tratos contra pessoa idosa no contexto contemporâneo. A presente pesquisa esta apoiada em estudos que abordam a temática (in)tergeracional como Goldmam( 2002), Magalhães (2000); sobre a EJA contamos com Arroyo (1999), Freire (1991); e por fim, na categoria de maus tratos, contaremos com Minayo (2007) e algumas legislações específicas das temáticas citadas. A investigação propiciará no final dos seus descritos o conhecimento sobre as diversas gerações encontradas em um coletivo de espaço de formação da EJA, e como a interlocução entre jovens, adultos e idosos pode promover pontos de transmissão de saberes, construção e (re)construção de valores, de memórias, convivências, fortalecimento de vínculos e conhecimentos acerca do processo de envelhecimento e dos maus tratos que acometem a este segmento etário. 

Palavras-chave:  EJA;  Intergeração; Maus Tratos contra Pessoa Idosa.


Palavras-chave


EJA; Intergeração; Maus Tratos contra Pessoa Idosa.

Texto completo:

PDF

Referências


REFERÊNCIAS

ARROYO, Margarete. Representações sociais sobre práticas de ensino e aprendizagem musical: um estudo etnográfico entre congadeiros, professores e estudantes de Música. Tese de Doutorado em Educação Musical. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 1999.

ARROYO, Miguel.Educação de jovens e adultos: um campo de direitos e de responsabilidade pública. In: SOARES, L. (Org.). Diálogos na educação de jovens e adultos. São Paulo: Autêntica, 2005.

BEAUVOIR, Simone. A velhice. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1990.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Violência intrafamiliar: orientações para prática em serviço / Secretaria de Políticas de Saúde. – Brasília: Ministério da Saúde, 2001.

_______Lei Federal Nº 10.741 de 1° de outubro de 2003. Dispõe sobre o Estatuto do Idoso e dá outras providências.

________.Constituição Federal, 1988.

BRITO DA MOTTA, Alda. Sociabilidades possíveis: idosos e tempos geracionais. In:

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 27. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

_______. Educação como prática da liberdade. 24. ed., São Paulo: Paz e Terra, 2000.

______. Pedagogia do oprimido. 30. ed., São Paulo: Paz e Terra, 2001.

______. A importância do ato de ler.36. ed., São Paulo: Cortez, 2003.

GOHN, Maria da Glória. Educação Não Formal, Aprendizagens e Saberes em Processos Participativos. Investigar em Educação: Educação não formal e aprendizagens informais. Minho, Portugal, v. 1, n. 1, p.35-50, jan. 2014. Semestral. II Série. Disponível em: http://pages.ie.uminho.pt/inved/index.php/ie/issue/view/1 . Acesso em: 17 agos. 2017.

MAGALHÃES, D. N. Intergeracionalidade e cidadania. In: PAZ, Serafim. Envelhecer com cidadania: quem sabe um dia? Rio de Janeiro:CBCISS-ANG/RJ. (2000).

MACEDO, Roberto Sidnei. Etnopesquisa Crítica / Etnopesquisa Formação. 2. ed. Brasilia: Liber Livro, 2010. 179 p. (Pesquisa v. 15)

MARCONI, M. D. A.; LAKATOS, E. M. Fundamentos de metodologia cientifica. 6.ed. São Paulo: Atlas, 2005

MINAYO, Maria Cecília de Souza (Org.). Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. 19. ed. Petrópolis: Vozes, 2001.

TRIVIÑOS, Augusto Nibaldo Silva. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 2011.




DOI: https://doi.org/10.32359/debin2019.v2.n4.p96-109



Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.