BISSEXUALIDADE E PANSEXUALIDADE: IDENTIDADES MONODISSIDENTES NO CONTEXTO INTERIORANO DO RIO GRANDE DO SUL

Monalisa Dias de Siqueira, Danieli Klidzio

Resumo


Neste artigo discutimos gênero e sexualidade a partir de contextos interioranos e rurais, contribuindo para a multiplicidade de vozes para além das grandes metrópoles e centros urbanos. O objetivo é compreender quais as concepções sobre a bissexualidade e a pansexualidade com base na análise de aspectos das vivências de mulheres jovens em meio às suas construções identitárias enquanto bissexuais e pansexuais, no contexto familiar no interior do Rio Grande do Sul e, posteriormente, no âmbito universitário, a partir do ingresso no ensino superior e do contato com os movimentos sociais. Com base nas noções de heteronormatividade, monodissidência e “heterossexualidade compulsória”, refletimos sobre a construção das identidades bissexual e pansexual, e a invisibilidade ainda presente, inclusive no movimento LGBTQIAP+. Por fim, destacamos a heterogeneidade desses contextos relacionada às discussões de gênero e sexualidade dissidentes, que varia conforme as localidades, bem como outros marcadores sociais e as condições de acesso à informação de cada indivíduo.



Palavras-chave


bissexualidade; pansexualidade; gênero; identidade sexual.

Texto completo:

PDF

Referências


BALIEIRO, Fernando de Figueiredo. “Não se meta com meus filhos”: a construção do pânico moral da criança sob ameaça. Cadernos Pagu, n. 53, 2018.

BARROS, Danielle Pinto Marques de. A bissexualidade feminina: da discriminação ao processo de aceitação social. 66 p. Monografia (Monografia Curso de Psicologia) - Centro Universitário Hermínio da Silveira, Rio de Janeiro, 2008.

BAUER, Martin W.; GASKELL George. Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. 4. ed. Petrópolis: Ed. Vozes, 2002, 516p.

BORGES, Rafaela Oliveira.; BORGES, Zulmira Newlands. Pânico moral e ideologia de gênero articulados na supressão de diretrizes sobre questões de gênero e sexualidade nas escolas. Revista Brasileira de Educação, v. 23, 2018.

BRUM, Ceres Karam. Tradicionalismo e educação no Rio Grande do Sul. Cadernos de Pesquisa, v. 39, n. 138, p. 775-794, 2009.

BUTLER, Judith. Problemas de Gênero: Feminismo e Subversão da Identidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2008, 236p.

CARDOSO, Cláudia Pons. Amefricanizando o feminismo: o pensamento de Lélia Gonzalez. Revista Estudos Feministas, v. 22, n. 3, p. 965-986, 2014.

CRENSHAW, Kimberlé Williams. A interseccionalidade na discriminação de raça e gênero. VV. AA. Cruzamento: raça e gênero. Brasília: Unifem, p. 7-16, 2004.

DAMATTA, Roberto - O ofício de etnólogo ou como ter ‘anthropological blues’. In: NUNES, Edson de Oliveira (org.) - A Aventura Sociológica: Objetividade, Paixão, Improviso e Método na Pesquisa Social. Rio de Janeiro: Zahar, 1978. p. 23-35.

FACCHINI, Regina. Entre umas e outras: mulheres, (homo)sexualidades e diferenças na cidade de São Paulo. 323 p. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) - Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2008.

GONZALEZ, Lélia. Racismo e Sexismo na Cultura Brasileira. Revista Ciências Sociais Hoje, Anpocs, 1984, p. 223-244.

HENRIQUES, Mariana; FILHO, Flavi. Ferreira Lisboa. Mulheres gaúchas no especial Bah!: identidade e representação. Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação, 2015.

LAURETIS, Teresa de. A Tecnologia do Gênero. Tradução de Suzana Funck. In: HOLLANDA, Heloísa Buarque de. (Org.). Tendências e Impasses: o feminismo como crítica da cultura. Rio de Janeiro: Rocco, 1994. p. 206-242.

LEÃO, Maria. Os unicórnios no fim do arco-íris: bissexualidade feminina, identidades e política no Seminário Nacional de Lésbicas e Mulheres Bissexuais. 117 p. Dissertação (Mestrado em Saúde Coletiva) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2018.

LEWIS, Elisabeth Sara. “Não é uma fase”: construções identitárias em narrativas de ativistas LGBT que se identificam como bissexuais. 267 p. Dissertação (Mestrado em Letras) - Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2012.

MAGALHÃES, Pedro Mourão de Moura. Terra, amor e existência: sobre a atuação do coletivo LGBT do movimento dos trabalhadores rurais sem terra. 73 p. Monografia (Curso de Ciências Sociais) - Universidade de Brasília, Brasília, 2017.

RICH, Adrienne. Heterossexualidade compulsória e existência lésbica. Bagoas - Estudos gays: gêneros e sexualidades, v. 4, n. 05, 27 nov. 2012.

SCOTT, Joan Wallach. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Educação & Realidade, vol. 20, n. 2. Porto Alegre: jul-dez. 1995, p. 71-99.

VELHO, Gilberto. Observando o familiar. In: Individualismo e cultura: notas para uma antropologia contemporânea. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1981. p. 121-132.

ZANINI, Maria Catarina Chitolina; PIECHA, Renata. Divisão sexual do trabalho no campo: da invisibilidade à resistência. In: SANTOS, Carlos Antônio dos; RIBEIRO, Júlio César. (Org.) Impactos das Tecnologias nas Ciências Agrárias 3. Ponta Grossa: Atena Editora, 2019. p. 388-416.




DOI: https://doi.org/10.32359/debin2020.v3.n9.p186-217



Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.