TEM LUGAR PARA AS BICHAS? – DISCURSO ACERCA DAS SEXUALIDADES DISSIDENTES E PRÁTICAS HETEROTÓPICAS

Samilo Takara, Vinícius Colussi Bastos

Resumo


Este texto tem como questão orientadora problematizar: de que maneira as experiências de corpos e vidas dissidentes das normas de gênero e sexualidade nas lógicas produtivas e coercitivas do poder, que naturaliza a heterossexualidade, são inscritas de modos diferentes nas localizações Interior e Capital? Desse modo, o objetivo geral deste estudo é problematizar as relações entre espaço, sexualidades e dissidências das normas de gênero e sexualidade que as bichas provocam. O texto é embasado pelos referenciais teóricos dos estudos culturais e estudos queer e inscreve-se sob métodos bibliográfico e documental em um estudo que é qualitativo e exploratório na análise do vídeo “Gay do interior X gay da capital: beijo, namoro, aplicativo...” do youtuber Klébio Damas. Considera-se que corpos e vidas dissidentes das normas são capturados nas relações de poder e no diálogo com as representações apresentadas, compreende-se que os processos de experiência que perpassam as sexualidades dissidentes são vividos pelas bichas de forma heterotópica nesses espaços.


Palavras-chave


Sexualidades; bichas; localização; heterotopias

Texto completo:

PDF

Referências


AUGÉ, Marc. Não lugares: introdução a uma antropologia da supermodernidade. Trad. Maria Lúcia Pereira. 9. Ed. Campinas/SP: Papirus, 2012.

BACHELARD. A poética do Espaço. In: Os pensadores. 2. ed. São Paulo: Abril Cultural, 1984. (181-354).

BORRILO, Daniel. Homofobia: história e crítica de um preconceito. Trad. Guilherme João de Freitas Teixeira. Belo Horizonte: Autêntica, 2010.

CANCLINI, Néstor García. Culturas Híbridas, Poderes Oblíquos. In: CANCLINI, Néstor García. Culturas Híbridas: estratégias para entrar e sair da modernidade. 4.ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2008. (283-350).

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Tratado de Nomadologia: a máquina de guerra. In: DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil Platôs – capitalismo e esquisofrenia. Vol. 5. São Paulo: Ed. 34, 1997.

ESCOSTEGUY, Ana Carolina D. Cartografias dos estudos culturais – Uma versão latinoamericana – ed. on-line – Belo Horizonte: Autêntica, 2010.

FOUCAULT, Michel. A vida dos homens infames. In: FOUCAULT, Michel. Estratégia, poder-saber. Ditos e Escritos IV. Rio de Janeiro. Forense Universitária, 2003. (203-222).

FOUCAULT, Michel. Outros Espaços. In: Motta, M. B. (Org). Michel Foucault Estética: Literatura e pintura, música e cinema. tradução Inês Autran Dourado Barbosa. 2. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2006. (Ditos & Escritos. v. III), (411-422).

FOUCAULT, Michel. As Heterotopias. In: FOUCAULT, Michel. O corpo utópico; as heterotopias. Trad. Salma Tannus Muchail. São Paulo: n-1 edições, 2013. (19-32).

FOUCAULT, Michel. Ditos e Escritos IX: genealogia da ética, subjetividade e sexualidade. trad. Abner Chiquieri. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2014.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de Pesquisa. 4.ed. Atlas: São Paulo, 2002.

HALL, Stuart. Da Diáspora: Identidades e mediações culturais. Belo Horizonte/MG: Editora UFMG, 2003.

HARAWAY, Donna. Saberes localizados: a questão da ciência para o feminismo e o privilégio da perspectiva parcial. Cadernos Pagu, Campinas, 1995. (7-41).

MISKOLCI, Richard. Teoria Queer: um aprendizado pelas diferenças. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica Editora; UFOP – Universidade Federal de Ouro Preto, 2012.

MUNDO PARALELO. Gay do interior X gay da capital: beijo, namoro, aplicativo... Klébio Damas. YouTube. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=9d85fVMuQjE. Acesso: 29 abr. 2020.

NELSON, Cary; TREICHLER, Paula A.; GROSSBERG, Lawrence. Estudos Culturais: uma introdução. In: SILVA, Tomaz Tadeu da (org.). Alienígenas na sala de aula. 7.ed. Petrópolis/RJ: Vozes, 2008. (7-20).

PRECIADO, Paul B. O que é contrassexualidade? In: HOLLANDA, Heloisa Buarque de. (Org.). Pensamento Feminista: conceitos fundamentais. Rio de Janeiro: Bazar do Tempo, 2019. (411-420).

RAFFESTIN, Claude. Uma concepção de território, territorialidade e paisagem. In: PEREIRA, Silvia Regina; COSTA, Benhur Pinós; SOUZA, Edson Belo Clemente de (orgs.). Teorias e práticas territoriais: análises espaços-temporais. 1.ed. São Paulo: Expressão Popular, 2010. (13-24).

SANTOS, Boaventura de Sousa. Modernidade, Identidade e a Cultura de Fronteira. SANTOS, Boaventura de Sousa. Pela mão de Alice: o social e o político na pós-modernidade. 8.ed. São Paulo: Cortez, 2001.

SAQUET, Marcos Aurélio; CANDIOTTO, Luciano Zanetti Pessôa; ALVES, Adilson Francelino. Construindo uma concepção reticular e histórica para estudos territoriais. In: PEREIRA, Silvia Regina; COSTA, Benhur Pinós; SOUZA, Edson Belo Clemente de (orgs.). Teorias e práticas territoriais: análises espaços-temporais. 1.ed. São Paulo: Expressão Popular, 2010. (53-68).

SEDGWICK, Eve Kosofsky. A epistemologia do armário. Cadernos Pagu. v. 28. n. 19 Campinas, 2007 (19-54).

SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. 23 ed. 7 reimp. São Paulo: Cortez, 2008.

TAKARA, Samilo. Uma pedagogia bicha: homofobia, jornalismo e educação. Programa de Pós-Graduação em Educação. UEM/PR, 2017

TERUYA, Teresa Kazuko. Sobre Mídia, Educação e Estudos Culturais. In: MACIEL, Lizete Shizue Bomura; MORI, Nerli Nonato Ribeiro (orgs). Pesquisa em Educação: múltiplos olhares. Maringá: Eduem, 2009. (151-165).




DOI: https://doi.org/10.32359/debin2020.v3.n9.p96-124



Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.