O ENFRENTAMENTO DO RACISMO PATRIARCAL E DA INTOLERÂNCIA RELIGIOSA NO CONTEXTO EDUCACIONAL: REFLEXÕES DESDE O PENSAMENTO DECOLONIAL E DO FEMINISMO NEGRO

Michele Guerreiro Ferreira, Camila Ferreira da Silva, Eunice Pereira da Silva

Resumo


O ensaio tem enquanto objetivo compreender as marcas da Memória Hegemônica e Vivida no enfrentamento do racismo patriarcal e da intolerância religiosa no contexto educacional. Situamos tal discussão no âmbito da implementação da Lei 11.645/08 que modifica a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (Lei 9.394/96), tornando obrigatório o ensino de história e cultura africana, afro-brasileira e indígena no sistema educacional. Filiamo-nos às Abordagens Teóricas do Pensamento Decolonial e do Feminismo Negro. Neste estudo bibliográfico os resultados preliminares apontam dois aspectos estruturantes do racismo patriarcal e da intolerância religiosa no contexto educacional: 1) o silenciamento do protagonismo das mulheres negras no tempo-espaço-histórico. 2) subalternização das religiões de matriz afro. Esse contexto nos faz compreender que uma educação antirracista, antissexista e de enfrentamento à intolerância religiosa perpassa, diretamente, pela fratura da amnésia de origem que tem negado/silenciado, historicamente, experiências outras que se dissociem da Memória Hegemônica.


Palavras-chave


memória; racismo patriarcal; intolerância religiosa; contexto educacional

Texto completo:

PDF

Referências


BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2011.

BOTELHO, Denise Maria. Educação e Candomblé: contribuições para a discussão de raça e gênero. Anais. 18ª REDOR Perspectivas Feministas de Gênero: Desafios no Campo da Militância e das Práticas, p. 3576- 3590, 2014.

GONZÁLEZ, Lélia. Racismo e sexismo na cultura brasileira. Revista Ciências Sociais Hoje, Anpocs, p. 223-244, 1984.

GROSFOGUEL, Ramon, (2010). Descolonizar los uni-versalismos occidentales: el pluri-versalismo transmoderno Decolonial de Aíme Cesaire a los zapatistas. In: CAIRO, Heriberto; GROSFOGUEL, Ramón (Orgs.), descolonizar la modernidad, descolonizar Europa: um diálogo Europa-América Latina, Madrid: IEPALA, p. 85-99, 2010.

GROSFOGUEL, Ramón. La descolonización de los estudios poscoloniales: transmodernidad,

pensamiento fronterizo y colonialidad global. Tabula Rasa, Bogotá - Colombia, p. 17-48,

MACHADO, Sandra Maria. Cotidiano escolar/(re)trato social: curriculando relações raciais. Anais. Anped GT 21. Florianópolis. 2015.

NASCIMENTO, Wanderson Flor do. Fenômeno do racismo religioso: desafios paraos povos tradicionais de matrizes africanas. Revista Eixo. Brasília-DF, v. 6, n. 2(Especial), novembro, 51-56, 2017.

OLIVEIRA, Luiz Fernandes de; CANDAU, Vera Maria Ferrão. Pedagogia Decolonial e Educação Antirracista e Intercultural no Brasil. Educação em Revista. Belo Horizonte, v. 26, nº 01, p. 15-40, abr. 2010.

OLIVEIRA, Luiz Fernandes de; RODRIGUES, Marcelino Euzébio. A cruz, o ogó e o oxê: religiosidades e racismo epistêmico na educação carioca. 36ª RA ANPED, GT 21. Comunicação Oral, Goiânia – GO, 2013.

QUIJANO, Aníbal. Colonialidade do poder, eurocentrismo e América Latina. In: LANDER,

Edgar (Org.). A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais: perspectivas latino americanas. Colección Sur. CLASCO Argentina: Ciudad Autónoma de Buenos Aires, p. 201-245, 2005.

SANTOS, Sales Augusto. Educação anti-racista: caminhos abertos pela Lei Federal nº 10.639/03 / Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade. – Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, 2005.

SÁ-SILVA, Jackson Ronie; ALMEIDA, Cristóvão Domingos de; GUINDANI, Joel Felipe. Pesquisa Documental: pistas teóricas e metodológicas. Revista Brasileira de História & Ciências Sociais, 2009.

SEGATO, Rita Laura; ÁLVAREZ, Paulina. Frente al espejo de la reina mala: docencia,

amistad y autorización como brechas decoloniais em la universidad. Brasília: Universidade de

Brasília, p. 201-215, 2016.

SILVA, Camila Ferreira da. As marcas da Memória Hegemônica e da Memória Vivida nas imagens da Mulher Negra nos livros didáticos do Território Campesino do Brasil e da Colômbia: um olhar através dos Estudos Pós-Coloniais e do Feminismo Negro Latino-Americano. 223 p. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2018.




DOI: https://doi.org/10.32359/debin2020.v3.n10.p145-161



Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.