PAULO FREIRE E A PEDAGOGIA DO MST: CAMINHOS PARA (RE)PENSAR A FORMAÇÃO HUMANA

Maria Fernanda dos Santos Alencar, Allan Diêgo Rodrigues Figueiredo

Resumo


RESUMO

Este texto analisa a pedagogia do movimento dos trabalhadores Sem Terra (MST) à luz da categoria freireana Ser Mais, considerando a sua constituição no processo de formação humana. É uma pesquisa qualitativa, de cunho bibliográfico. Compreende-se que a pedagogia do MST, ao se constituir na concepção de formação omnilateral, acolhe a categoria Ser Mais, apresentando contribuições para a formação humana dos seus militantes; empoderando-os da consciência crítica e da necessidade de se lutar por direitos humanos, sociais, civis e políticos. 


Palavras-chave


Paulo Freire; Ser Mais; Pedagogia do MST.

Texto completo:

PDF

Referências


REFERÊNCIAS

ARROYO, Miguel G. Prefácio. In: CALCART, Roseli Salete. Pedagogia do Movimento Sem Terra. São Paulo: Expressão Popular, 2012.

BONAMIGO, Gilmar Francisco. Da MinimaMoralia de Paulo Freire. Revista Linhas. Florianópolis, v. 19, n. 39, p. 243-270, jan./abr. 2018.

CALDART, Roseli Salete. Pedagogia do Movimento Sem Terra. São Paulo: Expressão Popular, 2012.

DALMAGRO, Sandra Luciana. A escola no contexto das lutas do MST. In: VENDRAMINI, Célia Regina; MACHADO, Ilma Ferreira (Orgs). Escola e Movimento social: a experiência em curso no campo brasileiro. São Paulo: Expressão Popular, 2011.

FERNANDES, Rodrigo Rafael e SILVA, Sidney Reinaldo da. “Ser mais” na obra de Paulo Freire: relações entre ética, humanismo e técnica. Revista Científica Interdisciplinar - Instituto Federal do Paraná - IFPR Paranaguá, v. 2, n. 1. Agosto, 2017.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. São Paulo: Paz e Terra, 1993.

_______. Educação como prática da liberdade. Série Ecumenismo e Humanismo, v. 5. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1967.

_______.The politics of education: culture, power, and liberation. Westport, CT: Bergin and Garvey, 1985.

_______. Segunda carto do direito e do dever de mudar o mundo. In: CALDART, RoseliSalete; KOLLING, Edgar Jorge (Orgs.). Paulo Freire um educador do povo. São Paulo: Associação Nacional de Cooperação agrícola, 2005.

FRIGOTTO, G. Estruturas e sujeitos e os fundamentos da relação trabalho e educação. In: SANFELICE, J. L.; SAVIANI, D.; LOMBARDI, J. C. (Org.). Capitalismo, trabalho e educação. Campinas, São Paulo: Autores Associados, Histedbr, 2005

MENDONÇA, Nelino Azevedo de. Pedagogia da Humanização – A pedagogia humanista de Paulo Freire. São Paulo: Paulus, 2008.

MELO JÚNIOR, Ebenezer da Silva e NOGUEIRA, Marlice de Oliveira. A Humanização do ser humano em Paulo Freire: a busca do “Ser Mais”. Revista Formação@Docente – Belo Horizonte – vol. 3, n. 1, dezembro 2011.

MST. Princípios da Educação no MST. Caderno de formação n. 8. São Paulo, 1996.

_______. O que queremos com as escolas de assentamentos. Caderno de formação n.18. 2001.

SOUZA, João Francisco de. Atualidade de Paulo Freire. Contribuições ao debate sobre a educação na diversidade cultural. Recife: Bagaço, 2001.

ZITKOSKI, Jaime José. SerMais. In: STRECK, Danilo R.; REDIN, Euclides; ZITKOSKI, Jaime J. Dicionário Paulo Freire. 3a ed. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2017.




DOI: https://doi.org/10.32359/debin2019.v2.n4.p21-33



Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.