RESISTÊNCIA E EMPODERAMENTO: OS CONCURSOS DE BELEZA NEGRA DO IFMS/IFSP

Guilherme Costa Garcia Tommaselli, Augusto Mular miceno, Tatiane Helena Borges de Salles

Resumo


Os Institutos Federais são equiparados às Universidades Federais. Devem conjugar, portanto, a tríade Ensino, Pesquisa e Extensão. Criados há 10 anos, por meio da Lei 11.892/2008, os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia oferecem cursos técnicos e superiores orientados pelo balizador 50/30/20: ao menos 50% de cursos técnicos, até 30% de cursos superiores de bacharelado tradicional e tecnológico e pelo menos 20% de licenciaturas. Trata-se de instituições públicas em processo de construção identitária, sobretudo naquelas que surgiram por força da lei, sem a infraestrutura física e corpo de servidores advindos dos escombros dos antigos Cefets. Diz-se isso porque o relato de organização de concursos de Beleza Negra no campus Três Lagoas do IFMS revela potente experiência junto ao público adolescente de estudantes de Ensino Médio autodeclarados negros. Compartilha-se ação extensionista que, na prática, faz sucumbir roteiros, padrões, metodologias e expectativas.

 


Palavras-chave


educação; beleza negra; empoderamento.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRÉ, Marli Eliza Dalmazo Afonso de; (org). Pedagogia das diferenças na sala de aula. Campinas, SP: Papirus, 1999.

FREIRE, Paulo. Extensão ou Comunicação. São Paulo, Editora X, 1900.

BRAGA, R. A Política do Precariado: do populismo à hegemonia lulista. Ed. Boitempo, São Paulo, 2012.

BRASIL, Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: pluralidade cultural, orientação sexual. Brasília: MEC/SEF, 1997.

______, Diretrizes curriculares nacionais para a educação das relações étnico-raciais e para o ensino de história e cultura afro-brasileira e africana. Ministério da Educação e a Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial. Brasília. 2004.

______, Diretrizes curriculares nacionais para a educação das relações étnico-raciais e para o ensino de história e cultura afro-brasileira e africana. Ministério da Educação e a Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial. Brasília. 2005.

______. Ministério da Educação / Secretaria da Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade. Orientações e Ações para Educação das Relações Étnico-Raciais. Brasília: SECAD, 2006.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. O que é educação. São Paulo: Brasiliense, 1985.

FREYRE, G. Casa Grande & Senzala: formação da família brasileira sob o regime de economia patriarcal. Rio de Janeiro: Maia & Schmidt, 1933.

GOMES, Nilma Lino. Diversidade cultural, currículo e questão racial: desafios para a prática pedagógica. In. ABRAMOWIZ, Lucia Maria de Assunção Barbosa; SILVÉRIO, Valter Roberto. Educação como prática da diferença. Campinas, SP: Armazém do Ipê. 2006.

______. O Movimento Negro Educador: saberes construídos nas lutas por emancipação. Petrópolis, RJ: Vozes, 2017.

______. Indagações sobre currículo: diversidade e currículo. Brasília: Ministério da Educação, Secretária de Educação Básica, 2007.

______; Práticas pedagógicas de trabalho com relações étnico-raciais na escola na perspectiva da Lei nº 10.639/03, Brasília: MEC; UNESCO, 2012.

GUSMÃO, Neusa Maria Mendes de. Diversidade, cultura e educação: olhares cruzados. São Paulo: Biruta, 2003.

LARAIA, Roque de Barros. Cultura: um conceito antropológico. 14 ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

LOPES, Ana Lúcia. Currículo, escola e relações étnico-raciais. In. Educação – africanidades –Brasil. Brasília, 2006. p. 13 a 31.

PEREIRA, Edimilson de Almeida. Malungos na escola: questões sobre culturas afrodescendentes e educação. São Paulo: Paulinas, 2007.

OLIVEIRA, Iolanda de. Raça, Currículo e Práxis Pedagógica. In. OLIVEIRA, Iolanda de; SISS, Ahyas. População Negra e Educação Escolar. Cadernos Penesb. Niterói: UFF. nº. 7. P. 1 – 320, 2006. p. 43 à 70.

SILVA, Giovani José da; SOUZA, José Luiz de. Educar para a Diversidade Étnico-Racial e Cultural: Desafios da Educação Inclusiva no Brasil. Inter-Ação: Rev. Fac. Educ. UFG, 33 (1): 169-192, jan./jun. 2008.

SILVA, Eronildo José da. Lei nº 10639/03 – Ensino de História e Cultura Afro-brasileira e Africana: como sua implementação é viável/ possível na escola?. In: CARVALHO, Elma Júlia Gonçalves de; FAUSTINO, Rosangela Célia. Educação e diversidade cultural. Maringá: Eduem, 2010.




DOI: https://doi.org/10.32359/debin2019.v2.n7.p126-152



Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.